Em novo relatório, CoinMetrics avalia qualidade de nodes e Bitcoin ganha nota A

Um novo relatório da empresa de análise de blockchain CoinMetrics chamado "State of the Network: Issue 30" fez uma avaliação dos nós dos principais projetos de criptomoedas e o Bitcoin ganhou nota A.

No último ano vimos diversos projetos de criptomoedas surgirem e investidores e usuários precisam realizar a difícil tarefa de analisar quais projetos possuem um futuro mais promissor.

A rede Ethereum ainda é o projeto com a maior quantidade de Dapps (Decentralized Apps) e o maior número de desenvolvedores, mas novos concorrentes estão surgindo com novas alternativas e isso tem tornado difícil saber qual projeto possui a melhor tecnologia.

O novo relatório da Coin Metrics oferece uma avaliação completa de várias redes de blockchain, com foco específico na análise dos nós. 

A Coin Metrics analisou as dez principais redes de blockchain - classificadas por capitalização de mercado - e a classificação ficou da seguinte forma:

 

CoinMetrics Nodes.png
Segundo a empresa:

"Classificamos nós completos em várias camadas (A, B, C e F), dependendo da facilidade de sincronização, atualização e manutenção dos nós."

É importante observar que XRP e XLM não foram classificados pois a análise destes nós precisa da confiança nos dados da API da Ripple e da Stellar Foundation.

Dos dez principais blockchains que a equipe classificou, Bitcoin, Bitcoin Cash, Bitcoin SV e Litecoin, todos receberam classificação A. 

Essas classificações são particularmente relevantes no momento, pois os nós compõe a infraestrutura que sustentam todas as redes de blockchain, executando e verificando as transações e conectando a rede ponto a ponto.

O Ethereum - que é um dos blockchains mais populares para os desenvolvedores - recebeu surpreendentemente um B da Coin Metrics. A nota se deve ao fato da rede levar muito tempo para sincronizar seus nós. 

Apenas duas blockchains receberam uma classificação "F": EOS e Binance Chain. A justificativa para a baixa pontuação do EOS está ligada à complexidade de extrair os dados necessários para concluir uma auditoria. 

A classificação baixa da Binance Chain decorre de sua "programação complexa de taxas" para sua DEX (versão decentralizada da exchange) e por sua rede de código fechado (o código não é open source).

Segundo analistas, a qualidade e distribuição dos nós de uma rede blockchain são essenciais para se ter uma visão mais clara do potencial de cada projeto. Como mostrou o Cointelegraph, a CoinMoks acredita que a qualidade dos projetos devem ser medidos pelo número de nós da rede.