Em evento sobre criptomoedas, Edward Snowden diz que 'privacidade do Bitcoin é fraca'

"A maior falha do Bitcoin é a falta de privacidade", disse Edward Snowden em participação na conferência Bitcoin2019 que acontece esta semana em São Francisco, nos EUA.

Snowden, ex-administrador de sistemas da CIA e ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA) que ficou famoso por protagonizar o vazamento de detalhes de programas do sistema de vigilância global da NSA, observou a importância da privacidade como fonte de liberdade.

“A falta de privacidade é uma ameaça existencial ao Bitcoin. É a única proteção que os usuários têm da mudança política.”

Snowden também afirmou que ele era um apoiador do Bitcoin e até usou um serviço criptografado que ele pagou com BTC para se comunicar com jornalistas em 2013.

Falando sobre sua experiência em relação à "perseguição" do governo dos EUA por compartilhar dados da NSA, Snowden apontou as expectativas irreais dos reguladores que querem estar no controle das criptomoedas.

Ao se aprofundar sobre os regulamentos dos bancos e governos, Snowden também expôs a necessidade de exchanges para defender a privacidade de seus usuários.

Ele teme que, se uma das exchanges revelasse informações ao governo, logo todas seguiriam no mesmo sentido:

“Se você realmente entrar nos termos de grandes exchanges como a Coinbase, elas só querem cobrir a si mesmas. Elas expõem você, fecham sua conta e mantêm seus fundos.".

Snowden ainda afirmou que não gosta do desenvolvimento de serviços financeiros de criptomoedas, alegando que muitos deles estão começando a se parecer muito com bancos:

"Algo imperdoável é que vocês continuam desenvolvendo serviços tentando ser bancos, e o mundo não precisa de mais bancos."

Snowden também falou sobre os "Shadow Brokers", um grupo de hackers que leiloou informações da NSA em troca de Bitcoin em 2016.

Ele observou que o caso de hackeamento foi o ponto de partida de uma guerra governamental contra as criptomoedas. Segundo ele, a regulamentação não funciona, a menos que se torne excessivamente intrusiva.

"Se o rastreamento do Bitcoin fosse possível, então a NSA os pegaria", disse. Ele afirmou que Satoshi Nakamoto estava na mesma posição: ele poderia navegar pelo sistema e não deixar vestígios.

"Se você sabe como o sistema funciona, você ainda pode ter privacidade", disse ele.

Para combater este problema, a comunidade de desenvolvedores de Bitcoin têm trabalhado recentemente em aprimoramentos na rede que tornarão transferências de Bitcoin mais privadas e seguras, como é o caso das tecnologias Schnoor Signatures e Taproot.