Exchange holandesa Blockport tenta relançamento depois de falência causada por STO frustrada

A exchange baseada em Amsterdam Blockport vai tentar se relançar no mercado depois que a empresa declarar deveria desativar sua plataforma até o fim de maio, segundo a rede de notícias de tecnologia The Next Web noticiou em 4 de junho.

Em 22 de maio, a Blockport teve sua falência decretada por uma corte holandesa, depois que a empresa não teve sucesso em uma oferta de security token (STO) dos tokens Blockport Securities (BPT).

A Blockport anuncou anteriormente sua STO em março, descrevendo o token BPS como um security token que é atrelado às ações da Blockport e permite aos proprietários obter lucro através da distribuição de dividendos. Lançada em 16 de abril, a STP teria sido oferecida a investidores prometendo a compra de BPS com um valor mínimo de investimento de 500 Euros (US$ 560), e durou até 15 de maio.

Na metade de maio, a Blockport revelou os resultados da STO, dizendo que a oferta não alcançou a meta mínima de capitalização de 1 milhão de Euros (US$ 1,1 milhão). A exchange declarou que vai ressarcir seus investidores, dizendo que a plataforma teria expectativa de desativação para o fim de maio.

O site da Blockport permanece no ar até o momento, com a página principal ainda dizendo que a empresa oferece a "forma mais fácil de comprar e vender criptomoedas".

De acordo com o The Next Web, a plataforma ainda está online devido a processos de ressarcimento ainda não finalizados, enquanto a empresa planeja "desativá-la corretamente" assim que todas as devoluções forem finalizadas.

Enquanto a data de desativação não está programada, o fundador da Blockport, Sebastiaan Lichter, revelou que a empresa vai continuar a desenvolver seus produtos de "forma saudável". Lichter completou dizendo que a Blockport está conversando com "as diversas partes envolvidas para um potencial relançamento".

Na metade de maio, a empresa de infraestruturas de blockchain Blockstream lançou uma plataforma de security token permitindo a empresas emitir security tokens na Liquid Network.