Investidor de Bitcoin insatisfeito abre uma ação coletiva de US$ 22,5 milhões contra banco israelense

Um investidor anônimo entrou com uma ação contra o banco israelense Hapoalim no valor de aproximadamente US$ 22,5 milhões, por conta do banco que se recusou a aceitar depósitos de lucros obtidos via Bitcoin ( BTC ). 

A BlockTV discutiu a ação em um relatório em 9 de agosto. De acordo com o relatório, a queixa está sendo apresentada como uma ação coletiva e o investidor planeja processar outros bancos israelenses pelos mesmos motivos. 

De acordo com o relatório, os bancos israelenses são em grande parte anti-criptomoedas porque desejam evitar ser examinados em conexão com empresas e indivíduos relacionados à criptoativos. No entanto, o advogado do investidor descontente, Lior Lahav, disse que isso não é motivo suficiente para os bancos recusarem serviços aos investidores deste mercado. Lahav declarou:

“Os bancos têm a obrigação legal de aceitar dinheiro dos clientes [...] Eles podem verificar seus clientes, fazer a devida diligência e descobrir de onde o dinheiro está vindo. O problema com os bancos é que eles não estão fazendo nada. Eles não estão perguntando a seus clientes: "Forneça-me a documentação da origem do dinheiro."

Lahav ilustrou ainda mais a escala da questão, argumentando que existem dezenas de milhares de investidores israelenses que são similarmente punidos por pelo delito alegado pelos bancos:

“Há mais de 70.000 investidores em bitcoin em Israel, que enfrentam o mesmo problema de seus bancos, [...] 99% deles são pessoas comuns que investiram em uma coisa que é completamente legal.”

Ross Gross

Lahav observou que seu cliente não é Ross Gross. Gross é um investidor da Bitcoin que alegou que o banco Hapoalim se recusou a aceitar seu depósito, supostamente porque veio de lucros de negociação de criptomoedas.

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, Gross começou a investir em Bitcoin em 2011 e relatou seus ganhos para a autoridade fiscal israelense. No entanto, a partir de 2017, o Bank Hapoalim parou de aceitar seus depósitos de fundos obtidos com o comércio de Bitcoin. 

Como resultado, Gross não conseguiu pagar seus impostos sobre ganhos de capital e a autoridade fiscal colocou uma garantia em sua conta bancária, casa e scooters. Gross disse: "a autoridade fiscal está ciente do problema, mas eles dizem que a bola não está em seu tribunal".