Mineração de moeda digital pode ser muito diferente em 2025

A mineração de moeda digital atingiu o ponto em que todos os equipamentos de mineração combinados utilizam mais electricidade do que a Islândia. No entanto, a capitalização de mercado de criptomoedas ainda é minúscula em comparação com outros mercados tradicionais. Esse consumo de eletricidade pode tornar-se insustentável se a taxa de adoção das moedas digitais continuar a crescer no ritmo atual.

Maior dificuldade de mineração

A dificuldade de mineração de Bitcoin é ajustada a cada 2016 blocos para permanecer em aproximadamente 10 minutos por bloco. À medida que mais capacidade de mineração é colocada on-line, a dificuldade aumenta de acordo. Assim, a dificuldade cresce proporcionalmente ao aumento do poder de computação da rede.

A dificuldade de mineração de Ether e Bitcoin aumentou exponencialmente desde seus respectivos blocos de gênese. Essa tendência provavelmente continuará à medida que a adoção siga crescendo. Portanto, os mineradores de moeda digital terão de adquirir constantemente equipamentos de mineração mais poderosos. Os tempos em que todos podiam minerar Bitcoin com o seu computador pessoal já vão muito longe

Mais centralizado

A crescente dificuldade de mineração forçou os mineiros a continuar comprando novos e mais poderosos equipamentos de mineração. O problema é que esses super-computadores também são muito caros, criando uma barreira significativa para a entrada que somente aqueles com carteiras bem recheadas podem superar. A mineração beneficia muito das economias de escala, o que limita ainda mais a capacidade dos pequenos mineiros de serem competitivos.

Por isso a mineração tornou-se fortemente centralizada. A AntPool afirma ser a maior empresa de mineração de criptomoeda em nuvem no mundo, controlando 17,82% do poder de hash da rede Bitcoin. A maioria das empresas de mineração estão localizadas na China devido ao baixo custo de eletricidade e mão-de-obra.

Alternativas verdes

À medida que o hashrate das redes Blockchain continua aumentando, a quantidade de hardware de mineração continuará a crescer. Esses computadores de mineração consomem grandes quantidades de energia, e isso acontece com todo o mercado de criptomoeda com tamanho relativamente pequeno.

Pode-se imaginar quanta eletricidade será usada para mineração se a moeda digital se tornar popular. Infelizmente, a eletricidade que alimenta essas máquinas geralmente vem de fontes de energia não renováveis, o que contribui para a mudança climática.

A empresa austríaca HydroMiner é uma das poucas empresas de mineração que planeja tornar a mineração mais sustentável e lucrativa usando energias renováveis. Nadine Damblon, CEO da HydroMiner, apontou em uma entrevista à CoinNoob que já existem empresas que usam energia solar para mineração, mas que a energia hidrelétrica é provavelmente a melhor solução, pois é mais consistente e porque a água pode então ser usada para arrefecer equipamentos de mineracao.

Prova de participação

Em uma rede de prova de participação (PoS), cada validador possui uma parte da rede. Isso é muito diferente da Prova de Trabalho (PoW), onde cada validador precisa possuir equipamentos de mineração caros. A PoS também encoraja uma maior descentralização da rede, uma vez que todos os detentores de moeda estão envolvidos na garantia da rede em proporção à quantidade de moeda que possuem. Além disso, a PoS é extremamente eficiente em termos de energia, uma vez que não é necessário fazer cálculos computacionalmente difíceis. Ele também permite validações muito mais rápidas.

A prova de participação tem algumas desvantagens, sendo a mais grave o problema "nada em jogo". Imagine que uma rede que use PoS esteja sob ataque de um ator hostil que está tentando suplantar o Blockchain válido com um dos seus. Faz sentido econômico "minerar" em ambos os Blockchains, uma vez que não lhe custa nada.

Na verdade, essa é a coisa inteligente a fazer, apenas no caso de o atacante ter sucesso. Com a Prova de Trabalho, um minerador deve, em vez disso, decidir minerar em uma cadeia ou outra, uma vez que o equipamento de mineração só pode ser usado em uma rede por vez e queima eletricidade cara.

Os blocos no Bitcoin Blockchain sempre serão verificados através da PoW. No entanto, o Ethereum está se movendo em direção à PoS com seu novo protocolo "Casper". Se for bem sucedido, isso permitirá que os titulares de Ether apostem suas moedas em um contrato inteligente em troca de taxas de transação. Muitos estão observando o Ethereum para ver se eles podem, de fato, resolver os problemas até agora difíceis de usar com Prova de Participação.


Siga-nos no Facebook