Dharma anuncia fase beta restrita para a versão 2 de sua plataforma de empréstimos

A credora cripto Dharma, com sede em São Francisco, anunciou o início de uma versão beta restrita para a nova atualização de sua plataforma.

Mudanças chegando e perspectiva de curto prazo

A Dharma anunciou a nova versão de sua plataforma em um post oficial do blog em 29 de agosto. De acordo com o anúncio, a Dharma fez parceria com o Compound, mercado monetário baseado na Ethereum, e usará seu protocolo como infraestrutura para a nova plataforma. Além disso, a Dharma agora fará seus contratos inteligentes de código aberto antes da produção.

Atualmente, a Dharma V2 está na versão beta fechada, o que significa que ela só pode ser acessado por usuários já existentes. No entanto, a empresa planeja abrir a versão beta dentro de algumas semanas para mais testes.

Além disso, a Dharma anunciou uma série de novos recursos, incluindo uma carteira inteligente sem custódia e de assinaturas múltiplas, endereços de depósito dedicados e depósitos e retiradas em fiat sem restrições.

Problemas antigos e uma nova fase

De acordo com o anúncio, a Dharma decidiu recomeçar sua plataforma do zero devido a problemas técnicos e questões de segurança. A empresa disse que eles "foram afetados por problemas de confiabilidade em toda a plataforma e passaram a ter confiança limitada na segurança do sistema", embora ressaltem que a segurança dos fundos dos usuários nunca foi comprometida.

O objetivo inicial da Dharma era construir "caminhos genéricos padronizados para empréstimos p2p na Ethereum" com muitos dos recursos solicitados pelos usuários.

Como publicado pelo Cointelegraph, a Dharma suspendeu novos depósitos e empréstimos em sua plataforma no início de agosto, mas prometeu que entraria para uma grande nova fase em breve. A empresa escreveu:

“Por enquanto, estamos fazendo uma pausa em novos depósitos e empréstimos na Dharma. Se você já possui um depósito ou empréstimo com a Dharma, ainda poderá acessar sua conta e terá a opção de sacar quaisquer fundos que não estejam bloqueados no momento.”