Deutsche Boerse e Swisscom trocam valores mobiliários usando Corda e Hyperledger

O mercado de valores mobiliários alemão Deutsche Boerse e a empresa estatal suíça de telecomunicações Swisscom liquidaram transações de valores mobiliários usando diferentes protocolos de blockchain.

Em uma prova de conceito (PoC) conjunta envolvendo vários bancos, os participantes trocaram dinheiro na forma de tokens de dinheiro por ações tokenizadas, anunciou oficialmente o Deutsche Börse em 19 de novembro.

Com base na tecnologia blockchain, a PoC conjunta pretende mostrar o potencial de novas tecnologias no setor de serviços financeiros e manter a experiência da Alemanha e da Suíça no ecossistema de ativos digitais.

Três grandes bancos suíços participaram da PoC

A PoC envolveu os principais bancos suíços, incluindo o quarto maior banco suíço Zuercher Kantonalbank, banco de investimento Vontobel e Falcon Private Bank. Esses bancos estavam atuando como contrapartes e trocaram tokens de títulos por tokens de dinheiro vivo, observa o comunicado de imprensa. 

O banco central suíço, o Banco Nacional da Suíça, também participou indiretamente da PoC, pois os tokens de dinheiro foram depositados como garantia na conta da Eurex Clearing no banco. Os tokens de dinheiro em francos suíços foram fornecidos pelo Deutsche Boerse.

Corda e Hyperledger foram usados ​​para liquidação segura nas cadeias

Para processar tokens de dinheiro e tpitulos, os participantes implantaram dois protocolos DLT (Distributed Ledger Technology) - o Corda da R3 e o Hyperledger Fabric da IBM - para concluir a liquidação segura entre cadeias.

Outros participantes da PoC incluem a empresa suíça de blockchain daura e Custodigit, uma joint venture de custódia da Swisscom e Sygnum. As empresas forneceram elementos essenciais do registro de ações digitais para o PoC, observou o Deutsche Börse.

A nova iniciativa do Deutsche Borse e da Swisscom é outro marco na colaboração existente existente entre empresas e blockchain.

No início deste ano, o Deutsche Borse Group e a Swisscom fizeram uma parceria com a empresa de fintech Sygnum, com sede em Cingapura, para desenvolver uma infraestrutura de mercado financeiro compatível com ativos digitais.