Relatório da Deloitte diz que as empresas que não consideram o blockchain

Um novo relatório emitido pela firma de auditoria e consultoria Deloitte descobriu que a tecnologia blockchain se tornará um ativo crítico para a indústria de bens de consumo e varejo (CPG). O relatório analisou mais de 50 casos potenciais de uso de blockchain e sugere que o “impacto potencial” da tecnologia nascente “é enorme”.

De acordo com o relatório “Nova Tecnologia no Bloco”, blockchain se tornará “uma tecnologia operacional padrão nos setores financeiro, manufatureiro e de consumo”, dizendo que os próximos cinco anos serão “um ponto de inflexão” à medida que as empresas começarem a entender o potencial do blockchain . O relatório enfatiza que as empresas devem avaliar se seus objetivos estratégicos garantem o investimento em blockchain, acrescentando que aqueles que não consideram pelo menos as possibilidades estão "em risco de ficar para trás".

O relatório aborda a lógica da blockchain em três áreas principais - consumidor, cadeias de suprimento, pagamentos e contratos -, marcando cada uma delas em termos do valor agregado que os sistemas blockchain poderiam criar. Embora se concentre na adoção de negócios, o relatório, no entanto, destaca que:

“O beneficiário final será o consumidor. Se blockchain pode criar eficiências e economizar custos ao longo da cadeia de suprimentos, esses benefícios podem ser repassados para o consumidor na forma de preços mais baixos. Se blockchain fornece mais transparência em toda a cadeia de suprimentos, esses benefícios também podem ser passados para o consumidor na forma de produtos mais seguros e de maior qualidade.”

O relatório cita dados da empresa de pesquisa de mercado Gartner, que estima que o valor agregado de negócios do blockchain crescerá para US$176 bilhões até 2025 e exceder US$3,1 trilhões até 2030.

Com foco nas cadeias de fornecimento de varejo e CPG, a Deloitte argumenta que a tecnologia pode resolver os quatro chamados "pontos problemáticos" da indústria, como rastreabilidade, conformidade, gerenciamento de partes interessadas e flexibilidade. O relatório sugere que, como um sistema auditável, imutável e desintermediado, com operabilidade de contrato inteligente para inicializar, blockchain pode efetivamente abordar todas essas áreas.

No início deste mês, o CEO da multinacional de serviços de entrega FedEx fez um discurso em que afirmou que blockchain é "a próxima fronteira que vai mudar completamente as cadeias de fornecimento mundiais".

A Oracle, segunda maior empresa de software do mundo, anunciou este mês que ofereceria produtos blockchain, incluindo aqueles adequados para o gerenciamento da cadeia de suprimentos para empresas farmacêuticas. Em abril, a gigante dos eletrônicos Samsung revelou que pretende usar blockchain na gestão de sua cadeia de suprimentos global.