A criptomoeda Grin implementou com sucesso um HardFork em sua Mainnet conforme havia planejado

A criptomoeda com foco em privacidade, Grin, completou o primeiro hardfork até agora em sua mainnet. A bifurcação ocorreu na altura do bloco 262.080 em 17 de julho, como mostrado no Blockscan, explorador de blocos do Grin.  

De acordo com um anúncio oficial do desenvolvedor de Grin, Quentin Le Sceller, a mais recente mudança na blockchain foi projetado para desencorajar a mineração Grin através de circuitos integrados específicos (ASICs) e também inclui uma nova iteração de seu “bulletproof rewind scheme para carteiras Grin.

Como discutido anteriormente pelo autor do Cuckoo Cycle, John Tromp, não há nenhum sinal de usuários implementarem ASICs para minerar Grin ainda; no entanto, o esquema de Prova de Trabalho secundário de Grin, Cuckaroo29, deve ser continuamente repetido para evitar a mineração de ASIC:

“Nos 133 dias de mineração Grin até agora, não há sinais de mineração de ASIC. Nós sabemos de vários produtos ASIC planejados para sair no verão. Na medida em que qualquer um desses ASICs tenha criado suporte para Cuckaroo29, queremos que nosso ajuste seja compatível. ”

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, Grin propôs o hardfork em sua mainnet para a altura e data acima mencionadas em 5 de junho. A Grin também planejou continuar trabalhando duro em intervalos regulares, com cada fork ocorrendo aproximadamente uma vez a cada seis meses ao atingir 262.080 novos blocos. 

Como esses são hardforks, as transações anteriores no blockchain não serão mais reconhecidas sempre que uma nova versão do mainnet for lançada. Além disso, Grin aparentemente usa o protocolo “Mimblewimble”, um protocolo criptográfico que leva o nome de uma maldição da popular série Harry Potter. Esse protocolo permite que as transações sejam ofuscadas, com o intuito de manter a privacidade do usuário e evitar gastos duplicados.