⁠Criptomoedas não devem ser dadas como certas: Presidente do Banco Central da Suazilândia

O presidente do Banco Central da Suazilândia (CBS) Majozi Sithole emitiu uma declaração otimista sobre moedas digitais. Ele afirmou ainda que o banco central está avançando na pesquisa sobre a tecnologia.

Em seu discurso em um fórum econômico no final de outubro de 2017, Sithole afirmou que poderia não ser uma decisão prudente descartar as criptomoeda, pois podem ser inovações muito importantes.

"Pode não ser bom descartar as moedas virtuais e, como o CBS está aprendendo, queremos aceitar e apoiar a inovação. Se isso é inovação, não queremos sufocá-la. Queremos aprender mais sobre isso".

A posição positiva do CBS sobre as moedas digitais

Desde o início, o CBS adotou uma visão positiva sobre as moedas digitais e mostrou publicamente seu interesse na nova forma de dinheiro.

Em agosto de 2017, o funcionário sênior de comunicação do banco central, Sithole Shabangu, apresentou uma breve visão geral das moedas virtuais e destacou o estudo realizado pelo banco central das criptomoedas em uma circular interna de notícias que foi emitida.

"Em essência, o Banco Central, de acordo com seu mandato de emitir e resgatar moeda, bem como promover sistemas de pagamento seguros e acessíveis, continua acompanhando de perto a evolução no setor de serviços financeiros com o objetivo de garantir que o quadro regulamentar permaneça relevante e apropriado".

Ela reiterou ainda que o desenvolvimento e o uso das criptomoedas devem ser feitos de forma a proteger adequadamente os interesses do público.

"O Banco reconhece seu papel no apoio à inovação e à adoção de novas tecnologias na indústria. Juntamente com muitas outras instituições reguladoras em todo o mundo, adota uma visão otimista, mas cautelosa, de que o setor de serviços financeiros certamente se beneficiará dessas tecnologias, mas que seu desenvolvimento e implantação devem ser feitos de forma a salvaguardar suficientemente o interesse dos usuários".