Cripto - A resposta para os desgostos com os petrodólares da Rússia?

ascensão das criptomoedas está oferecendo a vários países uma chance de se libertar das instituições financeiras convencionais que ditaram práticas comerciais por décadas.

O petróleo é o principal exemplo disso, já que as nações da OPEP ainda indexam o valor do petróleo em dólares - amarrando a commodity à economia da moeda americana. A superpotência ocidental impôs sanções aos países ricos em petróleo, dificultando sua capacidade de negociar o recurso.

Seguindo os passos da Venezuela, a Rússia e o Irã podem considerar o uso de criptomoeda enquanto procuram uma alternativa ao dólar.

De acordo com a RT, um analista de petróleo prevê que ambos países consideram as moedas virtuais como um método para vender petróleo bruto. O analista da PVM Oil Associates, Stephen Brennock, diz que as moedas virtuais são uma maneira de romper os laços com o dólar.

"O advento das criptomoedas, portanto, representa um novo catalisador para os países produtores de commodities que desejem abandonar o dólar como meio de pagamento do petróleo".

Os pesos pesados dos produtores de petróleo vêm trabalhando em planos para cortar o dólar já há algum tempo. China, Rússia e Irã estão dispostos a acordar contratos de swap de moeda para excluir o dólar do comércio de petróleo, enquanto a China está trabalhando em um acordo de petroyuan com a Venezuela para evitar o dólar.

A probabilidade de esses países negociarem em suas moedas fiduciárias é alta, mas pode ser aconselhável considerar a possibilidade do Bitcoin como a moeda escolhida para negócios.

Os países podem facilmente converter suas moedas de e para Bitcoin e a natureza descentralizada oferecerá um santuário e um respaldo das sanções internacionais no comércio.