Empresa de presquisa cripto lança banco de dados de divulgação para ativos digitais

A empresa de pesquisa e dados de criptomoeda Messari está lançando um registro de divulgações para informações básicas de cripto, de acordo com um comunicado publicado em 27 de novembro.

A Messari é uma startup baseada em Nova York, que fornece informações, dados de mercados e ferramentas de pesquisa na indústria de cripto para investidores, reguladores e o público em geral. Em março, Messari garantiu entre US $ 1 e US $ 5 milhões em financiamento em estágio inicial para lançar seu banco de dados de divulgação, segundo a Forbes.

Segundo o recente anúncio do Messari, a empresa lançou o registro de divulgações de código aberto, que pretende se tornar “uma fonte única” para informações básicas sobre cripto. Doze parceiros iniciais também se juntaram ao projeto, incluindo agentes do setor como a empresa de ecossistema de identidade segura Civic e o protocolo blockchain Aion.

Ao formar o banco de dados, a Messari supostamente coletará informações básicas voluntariamente divulgadas pelas partes envolvidas sobre seu design de token, detalhes de fornecimento, questões técnicas, bem como investidores e consultores. Os perfis serão declaradamente livres de acesso dentro da indústria. O lançamento explica ainda:

“Com o lançamento do registro Messari, os projetos de tokens finalmente terão uma plataforma comum que os ajudará a comunicar melhor as atualizações de materiais tanto com as comunidades existentes quanto com as partes interessadas externas...”

Ryan Selkis, CEO da Messari, afirmou que a transparência é fundamental para o desenvolvimento da economia cripto. Ele observou que os projetos participantes "compartilham nossa visão de que as informações que eles fornecem devem permanecer livremente acessíveis a todos os participantes do mercado, em vez de ficarem bloqueados por trás do paywall de qualquer provedor de dados único".

Outras organizações no espaço da criptomoeda também formaram órgãos de autorregulação e desenvolvimento. Em abril, dezesseis operadores de câmbio licenciados japoneses tomaram medidas para lançar a Associação Japonesa de Câmbio de Criptomoedas (JCEA). Os planos começaram a surgir em fevereiro a partir de duas entidades do setor, cujos membros agora compõem a JCEA - a Japan Blockchain Association (JBA) e a Japan Cryptocurrency Business Association (JCBA).

Um estudo da firma de advocacia internacional Foley & Lardner LLP, publicado em junho, revelou que 86% dos executivos e investidores das empresas de criptomoeda querem que o setor se autorregule. Um total de 89% dos entrevistados viu a necessidade de autorregulação “formalizada”, com uma maioria um pouco menor, considerando que esses padrões formalizados deveriam ter supervisão regulatória das autoridades.