Prêmios de cripto estão em ascensão, marketing mágico ou mais um golpe?

O mundo da arte, o mundo dos jogos e até alguns desenvolvedores de aplicativos estão juntando-se à tendência que está na moda, as criptomoedas, vendo-os como um prêmio perfeito para seduzir e atrair pessoas ao que estão fazendo. Mas qual é o objetivo final dessas pessoas e empresas?

É claro que há muita publicidade de graça que surge quando alguma coisa está ligada às criptomoedas - o setor imobiliário já sentiu isso - mas, para um artista abstrato como Andy Bauch, isso adiciona mais uma camada de intriga e interesse ao seu trabalho.

As empresas de jogos também encontraram uma conexão tecnológica com a moeda digital, escolhendo-a como um prêmio no mercado global. Eles também podem beneficiar-se do hype, mas além disso podem atrair um público maior com um prêmio coletivamente atraente.

Por que isso ocorre?

Os prêmios não são uma novidade, especialmente quando se trata de jogos ou eventos esportivos. No entanto, o encanto do Bitcoin está começando a se espalhar mais ou menos como o das quebra-cabeças e pinturas. Qual é o apelo de anexar um prêmio baseado no Bitcoin a um jogo que alguém pode vencer, ou a um quebra-cabeça que alguém pode resolver numa pintura?

Uma das maiores razões para isso é que, em geral, a mídia de Bitcoin vem com muita propaganda e publicidade gratuita. Já houve muitos casos em que ocorrências bastante comuns, como uma venda de casa, de repente atraíram muita atenção por causa do preço em Bitcoin.

O mercado imobiliário foi um excelente exemplo disso, quando uma mansão em Notting Hill, no Reino Unido com preço de £ 17 milhões, atraiu um interesse sem precedentes desde que entrou em venda em outubro do ano passado.

Saurabh Saxena, fundador da agência imobiliária Houzen disse o seguinte sobre o marketing de Bitcoin no setor imobiliário:

“Eu sinceramente acredito que o Bitcoin não é sustentável como uma moeda ou um meio de troca. É puramente um truque de marketing”.

O mesmo poderia ser dito sobre esta nova tendência de prêmios de Bitcoin para resolver as quebra-cabeças e vencer os jogos.

Todo mundo sabe o que significa ser um artista em dificuldades, com pouco ou nenhum reconhecimento da fama - como Vincent van Gogh - mas, ao incorporar um quebra-cabeça de Bitcoin, de repente a notícia espalha-se pela toda a internet e o nome alcança um nível de fama.

A lenda de Satoshi Nakamoto

A artista Marguerite deCourcelle, em três vezes escondeu prêmios de Bitcoin em pinturas digitais para o público descobrir.

A série de quebra-cabeças de Bitcoin, “A lenda de Satoshi Nakamoto”, está continuando há um bom tempo. Demorou quase três anos para o terceiro quebra-cabeça da série, "TORCHED H34R7S", ser resolvido - recentemente por um vencedor anônimo.

Incialmente, quando DeCourcelle e sua equipe colocaram a chave de uma carteira de Bitcoin na pintura digital, a carteira tinha 4,87 Bitcoins, o que na época valeu cerca de US $ 1.400.

DeCourcelle explicou à Cointelegraph como ela se envolveu na criptomoeda e porque ela pensou que seria uma boa ideia mesclar isso com enigmas de cripto:

“Em 2013, eu estava lendo livros como Época dos Diamantes, Nevasca, Jogador Nº 1, Demônio e Liberdade, que têm o mesmo assunto subjacente: um metaverso com moeda que é valiosa tanto no mundo real quanto no mundo virtual. Eu estava aprendendo sobre o Bitcoin naquela época, e o Bitcoin imediatamente se destacou para mim como algo que atravessa essas barreiras. Percebi que poderia dividir o "dinheiro" em uma sequência de informações e codificá-lo visualmente com padrões ou com uma estratégia em camadas para codificar as informações de uma maneira mais dinâmica - em outras palavras, usando o jogo para desbloquear uma sequência que estaria oculta".

“Blockchain é um tesouro de potencial inexplorado de como a informação vai além da existência virtual e pode ser ao mesmo tempo enraizada no mundo real. No começo da história do Bitcoin, os artistas foram convidados a "mostrar" o Blockchain através da arte conceitual. Isso foi realmente difícil de fazer. As pessoas também queriam "ver" um Bitcoin, era difícil aceitar que não dá para tocar o dinheiro. Então, para mim uma ponte natural para isso foi "mostrar" às pessoas o Bitcoin usando a arte como o portal".

Novo dinheiro

A nova série de pintura do artista Andy Bauch, “New Money”, combina a arte e as criptomoedas, escondendo códigos abstratos em sua obra de arte em Lego. As pinturas representam as chaves privadas para as carteiras contendo até US $ 9.000 em criptomoedas cada.

Mais uma vez, Bauch recebeu publicidade gratuita por combinar os dois mundos, da arte e da criptomoeda, provando o fato de que as criptomoedas são ferozes para qualquer notícia que aparece na sociedade.

Entretanto, parece que Bauch não está apenas fazendo isso pela fama, pois suas obras abstratas obviamente têm uma narrativa por trás delas, especialmente quando a exposição é chamada "Novo Dinheiro".

Um presente de jogo

Assim como os artistas, as empresas de jogos também estão escondendo criptomoedas em seus jogos para aqueles que chegam ao fim primeiro. Montecrypto: The Bitcoin Enigma é um jogo onde os jogadores vão navegar no mundo digital da primeira pessoa, resolvendo 24 "enigmas", a fim de reivindicar o prêmio final de 1 Bitcoin completo.

Os desenvolvedores permaneceram anônimos e desejam continuar assim até que o prêmio seja reivindicado, mas eles mencionaram nas perguntas frequentes do jogo que:

"Não estamos aqui para fazer publicidade do Bitcoin. Achamos que pode ser divertido ter um Bitcoin como um prêmio para o nosso jogo".

NeonDistrict é um outro jogo que será lançado em breve e terá um prêmio de cripto no final, desta vez 15 Ethereum (ETH). Este jogo vem da mesma equipe que está por trás da série de pintura digital; obviamente eles acreditam que esta é uma boa ferramenta para o marketing.

Há uma chance de ser enganado?

DeCourcelle conversou com a Cointelegraph sobre confiança e sua importância, pois ela percebeu que no espaço de criptomoedas há muita capacidade de confiar nas pessoas e assim ser abusado.

“Eu acho que as pessoas são absolutamente desconfiadas de serem enganadas. Descobri que os meus quebra-cabeças ou o meu apoio a um quebra-cabeça deram às pessoas a confiança para participar num concurso. Da mesma forma, qualquer pessoa nessa área que é "confiável" também traz legitimidade aos projetos. Mas não é difícil abalar essa confiança, então nós guardamos os nossos planos em segredo e fazemos tudo o possível para não enganar as pessoas”.

Com o terceiro quebra-cabeça sendo resolvido apenas no mês passado na série de DeCourcelle, ela e sua equipe construíram uma reputação decente em relação a essa pequena mas crescente faceta da criptomoeda. No entanto, ela admite que, independentemente de uma empresa ou pessoa estar oferecendo prêmios de Bitcoin ou ofertas iniciais de moeda (ICOs), a confiança e a reputação são fundamentais.

“Eu acho que até no espaço das ICO's, as pessoas estão lançando projetos que não têm negócios, porque nunca tiveram um produto comprovado. Por que as pessoas dariam seu tempo ou dinheiro a qualquer coisa que talvez nunca vai dar certo? A confiança e a capacidade de levar os projetos até o final significam tudo para uma comunidade que está apoiando um projeto”, disse ela à Cointelegraph.

“Estamos trabalhando em sistemas sem confiança que mesmo assim dependem muito de confiar nas pessoas com base em mérito social ou sistemas baseados em reputação. A maioria dos 'brindes' hoje em dia não chamam a atenção. Antigamente, você poderia twittar - "1 Bitcoin para um seguidor de sorte" e incluir um gif extravagante. Isso não funciona mais".

“A atual abordagem de marketing em cripto é criar marcas confiáveis que as pessoas podem apoiar com certeza. As pessoas também querem qualidade, proporcionando uma experiência educacional onde estão construindo relacionamentos, fazendo progresso pessoal e não desperdiçando seu tempo. Na verdade, não é sobre o dinheiro, o dinheiro é um bônus.”