Empresa de mineração cripto Giga Watt declara falência e enfrenta processo de despejo em condado de Washington

A grande empresa de mineração e blockchain dos EUA Giga Watt entrou com pedido de concordata na segunda-feira, 19 de novembro, informou o jornal diário Wenatchee World em Washingto, no dia 20 de novembro.

A firma de mineração de cripto que está entre as cinco maiores solicitou inclusão no Capítulo 11 de proteção no tribunal de falências do Distrito Leste de Washington, alegando que a empresa está "insolvente e incapaz de pagar suas dívidas quando vencerem".

De acordo com os documentos judiciais, a Giga Watt está mantendo entre zero e US $ 50.000 em ativos, estimando-se que o número de credores não seja superior a 50, enquanto o passivo é avaliado entre 10 e 50 milhões de dólares.

Além da falência, a empresa de mineração de cripto também está enfrentando o despejo no condado de Douglas, já que o condado de Port of Douglas teria aberto um processo de despejo.

O diretor-gerente da Giga Watt, George Turner, que gerenciou as iniciativas de mineração da empresa em East Wenatchee e Moses Lake, afirmou que o pedido foi feito pelo conselho de diretores da empresa e não passou pelo seu escritório, segundo a agência de notícias iFiberOne, com sede em Washington. Turner afirmou que ele defendeu o capítulo 11 "muitos meses atrás", e esta notícia veio a ele "como uma surpresa".

A empresa americana Giga Watt, conhecida anteriormente como MegaBigPower, foi alegadamente fundada em 2012 pelo ex-engenheiro de software da Microsoft Dave Carlson, que havia descoberto o Bitcoin em 2010. A empresa também realizou uma venda de tokens via Oferta Inicial de Moedas (ICO) em julho de 2017. De acordo com a iFiberOne, os tokens de Giga Watt pretendiam arrecadar dinheiro para uma construção de equipamentos de mineração usando “mais de 30 megawatts de eletricidade”, bem como uma subestação de energia privada.

Em março de 2017, Dave Carlson afirmou que a empresa “não precisava” registrar-se na Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA para conduzir uma ICO, argumentando que a empresa “criava uma oferta de tokens na qual as pessoas podiam obter acesso à infraestrutura elétrica que alimenta seus mineradores.”

Em março de 2018, o escritório de advocacia Silver Miller lançou uma ação judicial federal relacionada à ICO, promovida por Giga Watt, alegando que a empresa violava as leis de valores vendendo investimentos em seu negócio de mineração cripto sem registrar investimentos com os devidos órgãos reguladores.

Em setembro deste ano, a iFiberOne informou que Carlson havia “silenciosamente” deixado o posto de CEO da Giga Watt em meados de agosto.

A Cointelegraph divulgou uma análise em novembro sobre como o mercado de cripto afeta a rentabilidade da mineração de cripto.