Proprietária da casa de câmbio cripto Coincheck, Monex revela planos para abrir plataforma de negociação nos EUA

A corretora on-line Monex Group, que comprou a Coincheck, a casa de câmbio cripto japonesa hackeada nesta primavera, planeja lançar uma plataforma de negociação com sede nos Estados Unidos, reportou hoje a Cointelegraph Japan em 27 de julho.

Um resumo dos dados de uma reunião financeira realizada na sexta-feira confirma planos para estabelecer a TradeStation Crypto Inc. como uma subsidiária focada em criptomoedas da corretora de valores mobiliários TradeStation, que a Monex adquiriu em 2011.

Como relata a Cointelegraph Japan, o CEO da Monex, Oki Matsumoto, também sinalizou que o Coincheck –– que a Monex comprou em abril por cerca de US $ 33 milhões –– deve começar a funcionar plenamente no mês que vem.

Matsumoto previu originalmente uma abertura em junho para a Coincheck, mas atrasos na obtenção de uma licença da Autoridade de Serviços Financeiros (ASF), o regulador financeiro do Japão, fizeram com que isso fosse adiado, informou a Cointelegraph Japan.

Como Matsumoto declarou em uma coletiva de imprensa, ele está confiante em obter uma licença da FSA, acrescentando que a Monex já havia terminado de investir em segurança cibernética e gerenciamento interno.

A Coincheck continuou a funcionar desde a aquisição da Monex, demonstrando uma adesão rigorosa às exigências regulatórias desde que a plataforma perdeu US $ 534 milhões em um hack em janeiro –– o maior hack que a indústria já viu até hoje.

Em maio, as autoridades removeram quatro altcoins com foco no anonimato da carteira de pedidos da Coincheck, ao mesmo tempo em que anunciavam pela primeira vez planos de expansão para o mercado dos EUA.

"O Japão pode parecer estar um passo à frente na cripto, mas em termos de decidir o que é um título ou um token e atrair investidores institucionais, os EUA e a Europa estão avançando", disse Matsumoto à Bloomberg à época.