CEO do Credit Suisse não tem apetite por Bitcoin e grita "Bolha"

Enquanto a falta de regulamentação e uso por criminosos formaram a base de ataques contra o Bitcoin, a "bolha" é a última condenação usada pelos céticos. O CEO do Credit Suisse, Tidjane Thiam, usou a mesma lógica para atacar o Bitcoin. Falando em entrevista coletiva em Zurique, Thiam disse:

"Pelo que pudemos identificar, o único motivo hoje para comprar ou vender Bitcoin é ganhar dinheiro, que é a própria definição de especulação e a própria definição de uma bolha".

Ele acrescentou que, na história das finanças, tal especulação raramente terminou bem.

Os bancos não têm apetite

Tidjane também apontou que os bancos são entidades reguladas, com normas rigorosas sobre o seu cliente (KYC) e regulamentos antilavagem de dinheiro (AML). Por isso, seria difícil para eles lidar com o Bitcoin diretamente. Os bancos já encerraram as contas das empresas com base em Bitcoin devido ao maior escrutínio que tais contas implicam. De acordo com Thiam:

A maioria dos bancos no estado atual da regulamentação tem pouco ou nenhum apetite para se envolver em uma moeda que tenha tais desafios antilavagem de dinheiro.

Por que os bancos estão incomodados?

Os bancos podem ter motivos válidos, incluindo regulamentos rígidos, o que pode impedir que eles entrem no espaço Bitcoin. No entanto, esta não é uma razão para eles atacarem o Bitcoin, como Jamie Dimon e outros banqueiros fizeram. O Bitcoin ameaça interromper o modelo existente, com qual os banqueiros e os reguladores têm um relacionamento aconchegante.

Os bancos que têm uma reputação maior do que a vida e são muito grandes para falhar representam um risco sistêmico muito maior do que as criptomoedas. Ao tentar construir histeria sobre uma bolha do Bitcoin, seu uso em atividades criminosas ou a ameaça que ela representa para a estabilidade econômica, os oponentes do Bitcoin pretendem que os reguladores adotem a ação. O mercado parece estar ignorando os adversários do Bitcoin e ele vai escalando novos picos regularmente.