Congresso comunista acabou, agora, e o banimento do Bitcoin?

Havia muitas especulações de que a decisão da China de primeiro banir as ICOs, e em seguida adotar uma abordagem linha dura com as casas de câmbio de Bitcoin, foi apenas uma jogada de poder antes do 19º Congrasso Comunista.

Com essa flexão política dos músculos econômicos fora do caminho, qual é o novo horizonte para o Bitcoin no país socialista?

Muitos estão sentindo que há uma nova onda de otimismo, no entanto, quando se trata de Bitcoin, outros pensam que é um jogo totalmente diferente.

Criptomoedas são um caso especial

Gordon Chang, colunista americano, blogueiro, pândita de televisão, autor e advogado, disse que, embora o congresso tenha tido sucesso e haja otimismo para o país socialista, ele não sente que o liberalismo esteja à caminho. Chang disse::

"Houve um otimismo de que, após o 19º Congresso Nacional do Partido Comunista, haverá liberalização em muitas áreas da economia - isso é possível. Mas as criptomoedas são um caso especial".

Chang é de opinião que o Bitcoin voe alto demais em face do governo chinês que controla e que, a menos que existam mudanças liberais maciças, o regime atual não representará isso.

"Os chineses tem se preocupado que os cidadãos possam usar o Bitcoin e outras criptomoedas para expatriar dinheiro, tomar os controles do capital e se burlarem deles, então houve essa repressão sobre o Bitcoin. Eu acho que continuará", Chang sugeriu sinistro.

"Eu acho que o mais fascinante são os comentários do Banco Popular da China, sobre a China desenvolvendo sua própria moeda digital soberana, como uma substituição para o Bitcoin. Isso vai ser fascinante de se assistir, porque o banco central chinês vai querer ter controle e a razão pela qual essas criptos são tão populares é porque elas tomam o controle do governo e o entrega às pessoas, então vai haver luta".

Esta foi, de fato, a maneira pela qual a Rússia passou por coisas como eles baniram o acesso às casas de câmbio Bitcoin, antes de anunciar seu próprio CryptoRuble.

Chang diz que a previsão de que a proibição de Bitcoin era uma jogada de poder para o Congresso talvez não seja inteiramente verdadeira. O atual regime procura controlar mais a economia, bem como os mercados.

"Já vimos isso até agora, tem havido a proibição de ICOs e o fechamento de casas de câmbio e todos estão pensando que isso estava na preparação para o Congresso. Sob a liderança atual, houve uma tentativa de impor mais controle, não apenas sobre a economia, mas também sobre os mercados. Portanto, qualquer sensação de permitir que os cidadãos chineses a exportem dinheiro é contrária ao que o governo tem feito. Penso que o que veremos é mais dessa tendência após o Congresso, mas teremos que esperar e descobrir - mas não acho que os sinais sejam bons para a liberalização nos próximos meses", concluiu Chang.