Coincheck: NEM Foundation interrompe rastreamento de moedas roubadas, a conta dos hackers está em zero

Os especialistas confirmaram que todas as moedas de NEM (XEM) roubadas da maior casa de câmbio japonesa, a Coincheck, foram retiradas da conta dos hackers, informou a NHK World em 22 de março.

Em 26 de janeiro, os hackers roubaram da Coincheck US $ 530 milhões em criptomoeda NEM. Por volta de 1 de fevereiro, a NEM Foundation baseada em Cingapura conseguiu descobrir que os hackers estavam movendo as moedas de NEM roubadas para endereços diferentes, mas não conseguiram detectar a localização física dos hackers.

Um mês depois, as moedas roubadas da Coincheck foram detectadas nas casas de câmbio de cripto em Canadá e no Japão.

Por volta de domingo, 18 de março, a NEM Foundation parou de rastrear as moedas roubadas, o que acelerou os movimentos da moeda, segundo a NHK. Os especialistas dizem que é impossível rastrear as moedas roubadas quase dois meses depois do hack. Os registros de transações on-line mostram que a conta que acredita-se ter sido usada pelos hackers está em zero.

De acordo com o novo relatório anual da Agência Nacional de Polícia do Japão, mais de US $ 6,2 milhões de criptomoedas diferentes foram perdidos por causa de hacks e fraudes em 2017, sem contar o hack na Coincheck de US $ 530 milhões. Em 17 de março, a Cointelegraph relatou que a Coincheck parou de suportar três moedas digitais orientadas para a privacidade: Monero, Dash e ZCash.

No início deste mês, a Coincheck iniciou o processo de reembolso aos usuários afetados. A compensação é em ienes japoneses com um câmbio de 88,5 ienes (US $ 0,83) por uma moeda de NEM. Em relação ao valor da moeda roubada, o hack da Coincheck ganho o duvidoso título do maior hack de criptomoeda na história.