CEO da Coinbase lista três necessidades das criptos para adoção em massa

Brian Armstrong, CEO da Coinbase, principal exchange de criptomooedas dos Estados Unidos, acredita que a adoção em massa das criptomoedas depende principalmente da volatilidade, escalabilidade e usabilidade. Armstrong fez sua afirmação durante uma live do ask-me-anything (AMA) na última terça-feira, 2 de abril.

Armstrong fez a live de 45 minutos respondendo perguntas selecionadas enviadas pela comunidade cripto. Na primeira questão respondida que abordava o potencial de adoção em massa das criptomoedas, o CEO da Coinbase disse que as criptos podem alcançar a adoção em massa melhorando a escalabilidade e a usabilidade, enquanto reduzem a volatilidade.

Quando à volatilidade, se os mercados de criptomoedas continuarem mudando drasticamente, será difícil envolver mais investidores tradicionais, disse Armstrong. Assim, a indústria precisa de preços mais estáveis, alcançados, por exemplo, via stablecoins e mais casos de uso para atrair pessoas, concluiu ele.

Armstrong acrescentou ainda que atualmente existem até dez equipes trabalhando em soluções de escalabilidade, como o Lightning Network, com o objetivo de melhorar a velocidade das transações das criptomoedas. Graças ao desenvolvimento dessas soluções, as criptomoedas podem atingir de 500 a 5000 transações por segundo e começar a trabalhar nos volumes da Visa e PayPal.

A usabilidade também precisa ser melhorada, Armstrong continuou, argumentando que atualmente existem muitos passos que um usuário precisa fazer para investir em criptomoedas. Armstrong sugeriu que o investimento em criptomoedas para o varejo deva funcionar com muita facilidade, usando o popular aplicativo chinês WeChat como um exemplo de usabilidade.

Armstrong também comentou sobre o recente ceticismo em relação à Coinbase na comunidade, evidentemente referindo-se ao movimento #DeleteCoinbase como exemplo. A campanha foi lançada no início de março como resposta à aquisição pela Coinbase de uma empresa administrada por antigos desenvolvedores de spyware.

Respondendo a outra pergunta, o empresário disse que ama o Bitcoin (BTC) e quer que ele seja bem sucedido. No entanto, ele lamenta ter se envolvido demais na promoção do BTC em algum momento de 2013-2014, pensando que a moeda poderia se tornar uma rede de pagamento escalonável para todos. "Eu subestimei totalmente como essa ideia poderia se tornar controversa na comunidade BTC", confessou.

Como alguns o acusaram de adicionar o valor à moeda, Armstrong finalmente mudou de ideia e passou a ser agnóstico em todas as moedas e protocolos cripto, dando suporte a todos eles. A Coinbase decidiu apoiar todo mundo em vez de escolher os vencedores, disse ele.

Como informado anteriormente pelo Cointelegraph, Armstrong reconheceu repetidamente sua afeição pelo BTC. Por exemplo, em uma série de tweets comemorativos do 10° aniversário da moeda neste ano, Armstrong escreveu que o BTC  foi seu "primeiro amor."