Circle une-se à indústria para desenvolver padrões globais de criptomoedas

A empresa de financiamento cripto, Circle, uniu-se ao setor da Global Digital Finance (GDF) como membro fundador para desenvolver um "Código de Conduta" global para a criptomoeda, de acordo com um comunicado compartilhado com a Cointelegraph na quarta-feira, 31 de outubro.

A Circle confirmou a participação no GDF no Twitter, enfatizando o compromisso da empresa em desenvolver padrões para o setor a fim de promover a aceleração e a adoção de ativos digitais. Outros participantes do grupo supostamente incluem Coinbase, ConsenSys, DLA Piper, Diginex e outros.

Hoje, o GDF divulgou o Código de Conduta e Taxonomia para os ativos criptos após a aprovação pela comunidade GDF em uma série de mini-cúpulas globais realizadas na Ásia, Europa e Estados Unidos, de acordo com o comunicado de imprensa. O Código também passou por uma consulta de 60 dias com contribuições de mais de 200 empresas da indústria global de criptos e da comunidade.

O “Código de Conduta” será o início de um “conjunto de regras compartilhadas” de normas relacionadas à manipulação de dinheiro, gerenciamento de risco, interação com clientes e reguladores e prática de mercado.

O cofundador da GDF, Lawrence Wintermeyer, disse que o órgão da indústria pretende construir um modelo global de autorregulamentação para a indústria, com o objetivo de fazer com que “os ativos digitais funcionem perfeitamente através das fronteiras, o que desafia os atuais modelos jurisdicionais”.

As empresas podem se registrar com o GDF como código em conformidade a partir do primeiro trimestre de 2019. Segundo o comunicado de imprensa, a organização ainda está desenvolvendo um esquema de registro.

Na semana passada, a Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA, na sigla em inglês) concedeu status de autorregulamentação à Associação de Câmbio Virtual de Câmbio do Japão (JVCEA). A JVCEA é uma organização de câmbios de criptomoedas registrada no Japão, que colabora em regras para proteger ativos de clientes, contribuir para a política Anti Lavagem de Dinheiro (AML) e fornecer padrões de processo de trabalho para casas de câmbio de criptomoedas.