Regulamentador chinês adverte contra a "mitificação" do blockchain

O chefe do departamento internacional da Comissão Reguladora Bancária e de Seguros da China alertou contra a tecnologia de blockchain "mitologizadora", segundo o jornal South China Morning Post reportou em 9 de julho.

Falando no 5º Fintech Bund Summit, em Xangai, em 8 de julho, Fan Wenzhong argumentou que embora blockchain seja “uma inovação  significativa”, é um desserviço para “mitologizar” a tecnologia.

Fan supostamente disse que é difícil admitir blockchain como uma "revolução", porque a idéia de escrituração de múltiplas entradas tem circulado por centenas de anos. Fan afirmou que "a descentralização não é uma tendência nova, mas um loop, porque as primeiras transações humanas estavam sem autoridades centrais". Ele reiterou a posição do governo sobre as criptomoedas, afirmando:

"Blockchain é uma inovação útil, mas isso não significa que criptomoedas, que o blockchain deu origem, são necessariamente úteis."

A China adotou uma postura severa em relação às criptomoedas. De acordo com o South China Morning Post, até o final de maio, os órgãos reguladores haviam banido acesso doméstico de 110 plataforas de criptomoeda no exterior, enquanto a polícia investigou 300 processos criminais relacionados a moedas digitais.

Em maio, uma análise do governo chinês revelou que a expectativa de vida média de um projeto de blockchain é de 1,22 anos e apenas 8% dos projetos de blockchain lançados ainda estão vivos. Apesar da análise sombria, o presidente da China, Xi Jinping, elogiou o blockchain, chamando-o de "parte da revolução tecnológica". Xi falou:

“Desde o início do século 21, a inovação científica e tecnológica global entrou em um período sem precedentes de atividade intensiva. Uma nova rodada de revoluções científicas e tecnológicas e mudanças industriais está reconstruindo o mapa global de inovação e reformulando a estrutura econômica global ”.