Zona de Incubação de Fintech chinesa inicia oficialmente operações na província de Guangdong

A zona chinesa de incubação fintech localizada na província de Guangdong iniciou oficialmente suas operações, informou a emissora de notícias chinesa Chinese Software Developer Network (CSDN) em 21 de dezembro.

De acordo com o artigo, a zona - que abriu oficialmente em 20 de dezembro - tem uma área total de 120 quilômetros quadrados e já abriga a sede de mais de 20 empresas. A zona e sua administração oferecerão às empresas financiamento de projetos, espaço para escritórios e diretrizes de políticas, e em geral “promoverão a transformação e a aplicação de realizações tecnológicas”.

A CSDN observa que a zona de alta tecnologia financeira de Guangdong “focará nas principais necessidades e principais pontos problemáticos das indústrias [financeiras] encorajadoras de blockchain e outras tecnologias em finanças, manufatura, comércio.” A zona começará com o fomento de projetos pilotos e então seguirá em frente para “culpar um grupo de empresas de tecnologia financeira blockchain e equipes de inovação”.

Em novembro, a “Aliança Blockchain do Distrito de Dawan, de Guangdong, Hong Kong e Macau” foi estabelecida para promover a inovação e sustentar o desenvolvimento da tecnologia blockchain. A CSDN menciona os três distritos como áreas para expandir o uso da tecnologia.

A China, que há muito vem reprimindo a criptomoeda, banindo tanto as trocas domésticas quanto as estrangeiras, e até mesmo as contas sociais relacionadas à criptomoedas, parece estar investindo pesadamente na tecnologia blockchain. Como a Cointelegraph informou esta semana, uma aliança de proteção de direitos autorais de mídia foi criada em Pequim para fornecer proteção de direitos autorais usando a tecnologia blockchain.

Também em dezembro, Shenzhen, uma grande cidade na província de Guangdong e sede da primeira zona econômica especial da China, anunciou que usará a tecnologia blockchain para notas fiscais eletrônicas.