Magnata chinês do Bitcoin defende a decisão do Banco Central de proibir ICOs na China

No fim de semana passado, sete reguladores financeiros chineses, incluindo o Banco Popular da China, publicaram um decreto conjunto, criticando as vendas de criptomoedas como "uma distribuição pública não autorizada e ilegal de tokens financeiros, a emissão ilegal de valores mobiliários e arrecadação de fundos ilegais, fraude financeira e esquema de pirâmide".

Essa declaração foi vista como o sinal da proibição total das ICO na China.

Logo após os reguladores anunciarem sua decisão, vários investidores chineses influentes responderam com apoio.

Li Xiaolai, o lendário investidor de Bitcoin, bem como o cofundador da Yunbi, uma das maiores casas de câmbio de criptomoedas do mundo, mostrou seu apoio verbal e praticamente.

Além disso, Li interrompeu todas as negociações de ICOs em Yunbi, incluindo QTUM, GXS, EOS, ANS, DGD, 1ST, GNT, REP, SNT, OMG, PAY, LUN e VEN.

"A regulamentação das ICOs é necessária"

Em seu Weibo (Twitter chinês), ele postou isso:

 

Twit

  1. "O regulamento das ICOs é necessário e vem bem a tempo. Essa regulamentação pode eliminar o comportamento da arrecadação de fundos ilegais e promover o desenvolvimento da fintech na China. Defendo a decisão e faço o meu melhor para ajudar o trabalho do governo.
  2. Durante o boom da indústria Blockchain, um grande número de moedas não qualificadas foram criadas. Para um futuro melhor da indústria, estou disposto a cooperar com os reguladores para eliminar essas moedas.
  3. Minha empresa sempre foi e continuará sendo o jogador mais bem executado no mercado. Nós certificamos rigorosamente a informação de nossos usuários e lutamos contra comportamentos ilegais, seguindo os regulamentos e leis. Agora, todos os meus funcionários estão trabalhando em suas mesas, cooperando com os reguladores.
  4. Não responderei a nenhum boato sobre mim. Em vez disso, vou prestar toda a minha atenção à minha empresa e à indústria. Além disso, farei o meu melhor para cooperar com os regulamentos, assegurando que os riscos estão sempre sob controle.
  5. Sugiro a todos os investidores do Blockchain que sigam as regras e invistam legalmente. Também sugiro ao setor formar um tratado autorregulado e segui-lo no futuro. Finalmente, sugiro os departamentos governamentais relacionados, incluindo fintech, no atual sistema de regulamentação financeira".

Siga-nos no Facebook