Proibição chinesa de ICOs não é o fim da Fintech nem do desenvolvimento Blockchain

Diversos especialistas da indústria acreditam que o último movimento da China em banir as ICOs não significa necessariamente o fim das empresas FinTech envolvidas no Blockchain e nos empreendimentos de criptomoeda.

De acordo com um relatório da CNBC, a proibição da China de ICOs pode parar muitos crimes e golpes relacionados com Bitcoin e melhorar o mercado a longo prazo. No entanto, o movimento definitivamente não fechará as ICOs inteiramente.

Pausa temporária, mas não uma parada completa

Sasha Ivanov, CEO da Waves, pensa que o movimento definitivamente ajudará o setor. Ele previu que as ICO regulamentadas terão um lugar na China no futuro.

"Não é nenhum segredo de que muitas das ofertas de moedas iniciais, com anúncios no Facebook, prometendo enormes descontos e retornos, não são nada além de uma fraude. O governo chinês poderia lidar com as empresas que trabalham em uma zona de sombra da lei, mas finalmente perderam a paciência, à medida que mais e mais empresas tentavam levantar milhões para nada".

Enquanto a proibição da China de ICOs pode prejudicar alguns desenvolvedores de criptomoedas e atrapalhe algumas start-ups a aumentar seu capital, é improvável que as portas se fechem na indústria chinesa FinTech. Como eles dizem, a mistura de tecnologia e finanças não vai deixar a China.

Explorando os efeitos a longo prazo da proibição da ICO

C O anúncio da China no início deste mês de setembro enfatizou que as organizações que participaram da arrecadação de dinheiro por meio de ICOs eram obrigadas a reembolsar seus investidores se não conseguissem atender a determinados requisitos baseados em regras, mas nem todo esse capital precisava ser devolvido.

Atualmente, acredita-se que o mercado de ICO da China esteja atormentado com golpes e atividades de lavagem de dinheiro, razão pela qual o anúncio de proibição de ICO não veio de surpresa. Os líderes da indústria concordaram que a proibição prejudicará principalmente os desenvolvedores locais, que podem procurar outro lugar para criar fundos virtuais para as start-ups FinTech.

Enquanto isso, outros players, como os mineiros de Bitcoin, precisam prestar muita atenção aos órgãos de vigilância da moeda virtual de Pequim, já que talvez não seja fácil trocar suas moedas virtuais se o governo chinês optar por reforçar novas medidas além dos mercados da ICO.

Como estão se preparando?

Com a regulamentação atual, as ICO precisam de uma preparação especial antes do lançamento. Glukhoedov compartilhou que se educar sobre os regulamentos da ICO é uma das coisas mais importantes que os empresários de criptomoedas podem fazer.

"Educar-se sobre os atuais regulamentos da ICO é essencial, mas para regulamentos mais complexos, estamos trabalhando com uma agência de apoio ao crowdsale para garantir que nossa empresa esteja em plena conformidade com as leis atuais. Embora os regulamentos incertos e em desenvolvimento possam parecer negativos para as campanhas, acreditamos que seja inevitável e pode ajudar a limpar o mercado de golpistas, o que deixará empresas fortes e sérias para lançar ICOs".

Beneficiando outros mercados globais de ICO

A indústria Blockchain na China é relativamente nova. Como mercados de tecnologia rivais como EUAÍndiaRússia e até Hong Kong continuam a legitimar moedas como o Bitcoin, é improvável que os políticos chineses se deixem ficar muito para trás.

Atualmente, eles estão atrás da Rússia em termos de construção de infraestrutura tecnológica. A agência russa de acordos comerciais da Bolsa de Valores de Moscou está a caminho da construção da infraestrutura para tornar legal para investidores qualificados para comprar e manter moedas digitais.

Os movimentos da China de proibir ICOs beneficiarão outros mercados ICO e resultará perda potencial de ordens de ICO que serão canalizadas para outras agências globais.


Siga-nos no Facebook