A chinesa Alibaba disse que a nova plataforma P2P não é relacionada a criptos

Seguindo as recentes noticias, de que o conglomerado de comércio virtual chinês Alibaba lançou sua própria plataforma de mineração de criptomoedas, a empresa emitiu uma declaração oficial na terça-feira, 16 de janeiro, negando que sua plataforma esteja relacionada a moedas virtuais ou a mineração.

De acordo com a declaração oficial, publicada na plataforma da Weibo, a plataforma recentemente lançada da Alibaba 'P2P Nodes' foi erroneamente noticiada como sendo relacionada a criptomoedas.

A declaração esclarece ainda que a plataforma é realmente um serviço de rede de entrega de conteúdo peer-to-peer (P2P) fornecido pela Alibaba Cloud projetada para permitir que os usuários melhorem sua velocidade de rede compartilhando conexões de banda larga não utilizadas entre si.

A P2P Nodes credita aos usuários pontos para validação de dados em sua rede, um conceito que pode soar semelhante ao dos que os Bitcoin miners ganham pelo processamento de transações.

No entanto, de acordo com a declaração da Alibaba, os pontos na P2P Nodes não são baseados em criptomoedas, não podem funcionar como moeda e só podem ser trocados por itens na própria loja de presentes da plataforma.

A declaração da empresa ainda diz:

"Reiteramos que a Alibaba Cloud nunca emitiu uma moeda virtual do tipo do Bitcoin, e não irá hospedar plataformas de mineração de [criptomoedas]"

Em meio à continuação das notícias sobre a nova "plataforma de mineração" da Alibaba, o site P2P Nodes já não está online, de acordo com a rede de notícias CnLedger.