"Suspensão" de ICO pela China ecoa alertas do regulador do tratamento de casas de câmbio

O Banco Popular da China (PBoC) está considerando uma proibição geral de ICOs se os legisladores acharem que há "grandes riscos" para os consumidores.

De acordo com os relatórios de uma reunião realizada no início deste mês pelo departamento de notícias local Tencent, o PBoC está avaliando ativamente os possíveis limites das atividades da ICO na China.

Uma fonte disse à publicação que a reunião incluiu a participação da Comissão de Valores Mobiliários e Futuros do país e da Comissão Reguladora Bancária, entre outros.

Entre as ferramentas em consideração, estão controlar o tamanho das ICO, reforçar os requisitos de divulgação de informações e mais avisos abertos sobre os riscos associados ao investimento.

"Além disso, se um grande risco for encontrado (para os investidores), o regulador suspenderá todas as atividades associadas às ICO e as investigará", declarou Tencent.

Os avisos ecoam um tom semelhante do PBoC sobre as casas de câmbio de criptomoedas em si no início deste ano. Após as medidas de investigação, os reguladores fecharam as casas de câmbio chinesas por várias semanas, a fim de implantar um novo quadro legislativo.

Embora as casas de câmbio estejam agora em conformidade com as demandas, as ICOs ainda operam em uma área cinzenta legal na China, o que levou a advertências sobre as potenciaia punições para aqueles que participam de vendas não para o agrado das autoridades.

O PBoC informou a intenção de regular o mercado da ICO em junho.