Cargill investe em engenharia digital para desenvolver o Hyperledger Grid

O conglomerado agrícola Cargill, sedidado nos Estados Unidos, anunciou que está investindo em recursos de engenharia digital para desenvolver o Hyperledger Grid, de acordo com um anúncio de 25 de janeiro.

O Hyperledger Grid é um projeto recentemente anunciado pela Hyperledger que visa simplificar as cadeias de suprimento usando a tecnologia blockchain. A Cargill - a maior empresa privada dos Estados Unidos, com receita de 114,7 bilhões de dólares - afirma que o Hyperledger Grid pode "acelerar o desenvolvimento de blockchain e outras soluções digitais para as cadeias globais de fornecimento de alimentos e agricultura".

A Cargill observa que o Hyperledger Grid forneceu um conjunto de ferramentas com as quais pode tratar de questões relacionadas à cadeia de fornecimento agrícola, como rastreabilidade, segurança alimentar e liquidação comercial. O anúncio não incluiu detalhes específicos sobre a natureza do investimento da Cargill.

A gigante agrícola já explorou aplicações de tecnologia blockchain em seus negócios. Em outubro de 2018, a Cargill fez uma parceria com a Archer Daniels Midland Co., a Bunge Ltd. e a Louis Dreyfus Co. para digitalizar o comércio internacional de grãos usando tecnologias blockchain e inteligência rtificial. As quatro empresas, conhecidas como ABCD, planejam integrar a tecnologia blockchain em diferentes níveis da cadeia de suprimentos, incluindo transporte, armazenamento e experiência do cliente.

A Louis Dreyfus Co. concluiu seu primeiro embarque baseado em blockchain em janeiro de 2018, enviando soja da América para a China usando a plataforma blockchain Easy Trading Connect.

A Hyperledger é uma grande colaboração hospedada pela Linux Foundation e inclui gigantes de TI como IBM, SUP, Intel e instituições financeiras como JP Morgan e Deutsche Börse. Em 11 de dezembro, a Hyperledger anunciou que integrou 12 novos membros, incluindo Alibaba Cloud, uma subsidiária da gigante do comércio eletrônico, a empresa de serviços financeiros Citigroup, Deutsche Telekom, um dos maiores provedores de telecomunicações da Europa, a plataforma de negociação de blockchain europeu we.trade, entre outros.