Fornecedor britânico de hardware de TI construirá a maior fazenda Bitcoin no Reino Unido

A Bladetec, um fornecedor britânico de hardware de TI, revelou recentemente planos para construir uma fazenda Bitcoin (BTC) no sudeste do Reino Unido, informou o The Sunday Telegraph em 17 de março.

O projeto denominado Third Bladetec Bitcoin Mining Company Ltd (TBBMC) visa arrecadar £ 10 milhões ou aproximadamente US $ 13,9 milhões de investidores para construir e operar a fazenda de mineração nos próximos dois a três anos. Os desenvolvedores então planejam vender as moedas mineradas, bem como o equipamento de mineração para fornecer retorno de investimento, diz a plataforma de financiamento para o projeto, Envestry.

O fundador da Bladetec, John Kingdon, afirma que os investidores "não correm o risco de perder dinheiro". De acordo com seus cálculos, só a venda do equipamento de mineração resultaria em lucro; desconhece-se se ele levou em consideração fatores como a diminuição dos preços do hardware e o aumento dos custos de mineração que exigem mais energia elétrica e energia de computação a cada ano.

A TBBMC espera que os retornos dos investimentos sigam um dos quatro cenários, dependendo do valor do Bitcoin nos próximos dois anos. Os cenários variam de uma queda de preço por ano de 40% a um aumento de preço por ano de mais de 50%.

 

Fundada em 2002, a Bladetec forneceu suporte, abastecimento e serviços de consultoria de TI a órgãos como Ministério da Defesa do Reino Unido, OTAN e The National Grid. Segundo a Evenstry, a TBBMC será a primeira mina de Bitcoin na Europa financiada por investidores em uma empresa limitada protegida pela lei do Reino Unido.

De acordo com o projeto, a instalação da TBBMC abrangerá 3.500 pés quadrados em três locais em Londres, Surrey e Suffolk. Considerando o alto preço da mineração de um bitcoin no Reino Unido, que supostamente equivale a cerca de US $ 8.400, a maior parte dos fundos arrecadados seria gasto em custos de energia, já que a empresa planeja minerar 1.280 bitcoins, escreve o The Telegraph.