Especialista em finanças britânico processa Facebook por golpe de anúncios de criptomoeda

Martin Lewis, um jornalista inglês especializado em finanças e especialista em economia de dinheiro, deve divulgar o processo da Suprema Corte contra o Facebook na segunda-feira, 23 de abril, acusando a rede social de difamação relacionada a propagandas fraudulentas de cripto, segundo o post de Lewis em 20 de abril.

Lewis abrirá uma ação legal contra a empresa, alegando que, no ano passado, a plataforma social publicou mais de 50 anúncios de criptomoeda com uso ilícito de seu rosto e nome para promover produtos financeiros. Ele diz que os anúncios geralmente endossam esquemas de enriquecimento rápido com títulos como "Bitcoin code" ou "Cloud Trader", que são "frentes para empresas de comércio binárias baseadas fora da UE" e "financeiramente perigosas". Martin Lewis comentou:

"Eu não faço anúncios. Eu já disse isso ao Facebook. Qualquer anúncio com minha foto ou nome é sem minha permissão. Eu pedi para não publicá-las, ou pelo menos para verificar sua legitimidade comigo antes de publicar. Isso não deve ser difícil - afinal, a rede é uma das grandes quando se trara de reconhecimento de rosto e texto”

Interessante peça ainda que tenham me perguntado se era um golpe publicitário e eu disse sim parcialmente, a fim de aumentar a conscientização sobre os golpes. Esse pedaço não foi incluído (você verá porque é relevante se você assistir

Lewis afirma que o Facebook não limita a divulgação dos anúncios apesar de seus esforços para denunciá-los:

“Mesmo quando são denunciados, muitos são deixados por dias ou semanas. E finalmente, quando eles são deletados, os golpistas acabam de lançar uma nova campanha quase idêntica muito em breve e toda a ladainha recomeça”.

Em janeiro, o Facebook anunciou a proibição de anúncios que usam “práticas promocionais enganosas ou traiçoeiras”, incluindo anúncios de criptomoedas e ofertas iniciais de moeda (ICO's). Com esse movimento, o Facebook planeja tornar mais difícil para os golpistas lucrarem com uma presença na plataforma social.

Em março, o maior mecanismo de busca do mundo, o Google, atualizou sua política de serviços financeiros e banirá todos os tipos de anúncios relacionados a criptomoedas em junho de 2018.