BMW está trabalhando com outra firma Blockchain, desta vez para rastrear o Cobalt, diz relatório

O fabricante de automóveis alemão BMW supostamente fechou uma segunda parceria com uma startup Blockchain, desta vez para fornecer cobalt ético para seus produtos, a Reuters relata em 5 de março, citando o CEO da startup.

Apenas uma semana depois que o gigante do automóvel revelou um acordo com a empresa de fornecimento da Chinese Blockchain VEChain, Douglas Johnson-Poensgen, CEO da empresa pouco conhecida, Starburst Circulor, disse à Reuters que eles estão colaborando com a BMW para rastrear assim - suprimentos de cobalt "limpos" chamados a garantir sua proveniência ética.

O cobalt é obtido de forma esmagadora na República Democrática do Congo, onde alguns suprimentos são relatados por envolver o uso de trabalho infantil e configurações informais conhecidas como minas "artesanais", observa a Reuters.

A Blockchain Tech, disse o CEO da Circulor, é o bilhete do auto gigante para garantir uma cadeia de suprimentos sustentável.

"Cremos que faz sentido econômico começar com fontes que não são um problema", disse Johnson-Poensgen à Reuters.

"Uma vez que o sistema está comprovado e operando em escala, pode-se lidar com casos de uso mais difícil como minas artesanais".

Quase nenhuma informação adicional surgiu sobre o Circulor ou sua suposta parceria, que deve ser oficialmente reconhecida pela BMW.  Além disso, a Circulor parece não ter um site oficial, com o registro de Londres e a incorporação como Companhia Privada em novembro de 2017, suas únicas informações publicamente disponíveis.  

O último movimento continua a tendência na indústria automotiva, especificamente na Alemanha, com foco no uso da Blockchain para promover a inovação e reduzir os custos.

Em 5 de março, o Cointelegraph informou que o proprietário da Mercedes Benz Daimler havia lançado uma nova criptomoeda. Conhecido como MobiCoin, a moeda é projetada para recompensar os condutores por uma condução segura e ecológica e está atualmente em uma fase de teste de três meses com 500 proprietários de carros.

No final de fevereiro, o Cointelegraph informou que a Porsche implementou com sucesso e testou a tecnologia Blockchain em cooperação com o XAIN baseado em Berlim.