Segundo Samson Mow, da Blockstream, o tamanho do bloco do Bitcoin pode já ser 'grande demais'

O diretor de estratégia da Blockstream, empresa de tecnologia Bitcoin (BTC), disse que a capacidade atual de tamanho de bloco pode nem ser necessária no futuro.

Falando em uma entrevista à mídia do setor cripto Decrypt em 6 de outubro, Samson Mow afirmou que, com as soluções de dimensionamento fora da cadeia, como o progresso da Lightning Network (LN), o Bitcoin precisará de menos capacidade na cadeia.

O atual tamanho do bloco é adequado

De acordo com Mow, o Bitcoin agora tem o equivalente a blocos de 4 megabytes se forem incluídas transações que usam a tecnologia Segregated Witness. O futuro mostrará, no entanto, "que o tamanho atual do bloco pode realmente ser 'grande demais'", observou ele.

Os comentários de Mow estão em forte contraste com a narrativa frequentemente citada entre comentaristas que temem que a capacidade da rede do Bitcoin não consiga lidar com futuros aumentos na demanda.

Mow defende a Lightning Network para o Bitcoin

Atualmente, os blocos têm cerca de 1 megabyte de tamanho. As transações fora da cadeia não contribuem para carga na rede ao apenas os preencher e, portanto, a tecnologia que lhes permite um desenvolvimento considerável.

Para Mow, a LN representa o vencedor mais provável. O protocolo permite transações Bitcoin fora da cadeia quase instantâneas, que podem custar apenas 1 satoshi (US$ 0,00007944 no momento desta publicação).

Sua popularidade permanece limitada devido a sua natureza experimental e falta de interface amigável, mas a adoção deve continuar para avançar no status da LN. Mow explicou:

“A Lightning precisa crescer organicamente, não há como realizá-la artificialmente. As pessoas precisam abrir canais, gerar Bitcoins e começar a se conectar com outros nodes.”

No início de 2019, o revezamento de transações da Lightning Torch (Tocha Lightning - referência à passagem da Tocha Olímpica) aumentou significativamente o perfil da tecnologia e do próprio Bitcoin, com participantes como o CEO do Twitter, Jack Dorsey.