Plataforma blockchain de cadeia de suprimentos dá as boas-vindas à gigante do metal Glencore

A empresa de mineração e comércio de commodities britânico-suíça Glencore usará uma solução blockchain desenvolvida pela IBM para rastrear cobalto.

Em um comunicado de imprensa emitido em 12 de dezembro, a Glencore confirmou que ingressou na Rede Blockchain de Fornecimento Responsável (Responsible Sourcing Blockchain Network - RSBN), uma parceria conjunta entre várias grandes empresas que alavancam a tecnologia para melhorar a transparência da cadeia de suprimentos.

Glencore: blockchain ajuda nas boas práticas

A RSBN é uma criação do grupo de auditoria e consultoria global do RCS Global Group. Ela usa a plataforma blockchain da IBM e é desenvolvida com a Hyperledger Fabric.

"A RSBN desempenha um papel fundamental no avanço da parceria sustentável entre os produtores de commodities que permitirá a transição para uma economia de baixo carbono e os principais consumidores de todo o mundo", comentou Nico Paraskevas, diretor de marketing da Glencore para cobre e cobalto no comunicado.

Blockchain ganha destaque na indústria de metais

A Glencore já demonstrou interesse em blockchain antes. Como o Cointelegraph relatou, em outubro a empresa foi uma das sete gigantes de metais a formar a Mining and Metals Blockchain Initiative, com o objetivo de colaborar em soluções de prova de conceito a partir de então.

De maneira mais ampla, a indústria de metais está interessada em promover a blockchain para aumentar a eficiência da sua cadeia de suprimentos. Em março, a London Metals Exchange (LME) também apoiou uma iniciativa internacional semelhante, focada na tecnologia.

"Você sabe onde está o seu metal, você tem provas dele, mas ninguém pode ver qual é o seu metal e onde ele está", disse Matt Chamberlain, executivo-chefe da LME, à época.