Empresa blockchain, Digital Asset abre código de sua linguagem DAML

A empresa de software blockchain Digital Asset abriu sua linguagem de modelagem de ativos digitais (DAML, Digital Asset Modelling Language), segundo anúncio da empresa no Twitter nesta quinta-feira, 4 de abril.

Introduzido em abril de 2016, o DAML é uma linguagem expressiva projetada para instituições financeiras para modelar e executar acordos através da tecnologia de registro distribuído (DLT).

De acordo com o blog da Digital Asset, o DAML é similar a uma linguagem de contrato inteligente de várias maneiras, mas é otimizado para uso em um ambiente de execução privada e não em um ambiente de execução aberto.

O código-fonte da linguagem DAML está disponível gratuitamente sob a licença de código aberto Apache 2.0, informou a empresa em um comunicado, acrescentando que terceiros são capazes de modificar o DAML e integrá-lo a outras plataformas.

Shaul Kfir, cofundador e CTO da Digital Asset, disse que o DAML é capaz de abstrair as complexidades subjacentes das blockchains, o que permite aos desenvolvedores escrever rapidamente aplicativos distribuídos seguros, independentemente da plataforma.

Junto com o anúncio, a Digital Asset também liberou a disponibilidade aberta do kit de desenvolvimento de software (SDK) da DAML, o Developer Preview, permitindo que qualquer desenvolvedor comece a usar o DAML hoje.

De acordo com o comunicado, o DAML SDK já estava disponível como parte de um programa privado de desenvolvedores beta que forneceu acesso antecipado a desenvolvedores em várias das principais empresas financeiras globais, como Accenture, Bolsa de Valores da Austrália, BNP Paribas, Bolsas de Hong Kong e Singapura, Nomura Research Institute, entre outros.

A bolsa de valores australiana havia anunciado em setembro do ano passado que estava atrasando em seis meses sua mudança para blockchain nas transações de capital.

Recentemente, o Cointelegraph informou que o Ethereum (ETH) tem a maioria dos desenvolvedores trabalhando em seu protocolo base de todas as criptomoedas, sem contar com os desenvolvedores de projetos da comunidade. A companhia registrou mais de 20.000 repositórios de código e 16 milhões de commits para obter dados, revelando que, em média, 216 desenvolvedores contribuem com código para os repositórios do ETH todo mês.