Blockchain Research Institute vai liberar pesquisas para consulta pública e gratuita na internet

O Blockchain Research Institute (BRI) anunciou nesta segunda-feira, 22 de julho, que vai disponibilizar todo o seu conteúdo de forma gratuita através da internet.

Em comunicado, o BRI informou que todas as pesquisas realizadas pelo instituto serão propriedade das organizações parceiras por um período de seis meses. A partir disso, o material será disponibilizado gratuitamente ao público.

Membros do instituto e organizações parceiras ainda terão exclusividade sobre materiais complementares, como vídeos, infográficos, eventos e uma série de serviços. 

"Essa iniciativa visa tornar mais fácil às pessoas do mundo todo o acesso ao trabalho de uma rede de acadêmicos e líderes nesse espaço inovador", disse Don Tapscott, fundador de diretor-executivo do BRI.

As pesquisas do BRI procuram se debruçar sobre aplicações, desafios e implicações estratégias relacionadas ao uso da tecnologia blockchain por empresas, governos e pela sociedade civil. 

Atualmente, o "hub" de pesquisas, onde o material é disponibilizado ao público, já conta com 50 projetos publicados, e outros 60 estão em andamento ou no período de exclusividade para os sócios, de seis meses.

Carl Amorin, diretor do BRI no Brasil, conversou com exclusividade com o Cointelegraph.

"O BRI tem em sua criação a missão de produzir conhecimento em blockchain para a sociedade. Entendemos que o conhecimento é um bem comum da humanidade e deve ser distribuído para que seu uso contribua para melhorar a vida de todos e não pode se tornar uma mercadoria a ser comercializada", disse.

"Se defendemos um mundo sem intermediários, não faz sentido cobrar pelo acesso ao conhecimento, sem adicionar uma camada de prestação de serviços. A pesquisa já vem sendo paga por nossos membros, não faz sentido cobrar das pessoas para acessar esse conteúdo", finalizou.

A atuação do BRI no Brasil é bastante intensa. Recentemente, como mostrou o Cointelegraph, o instituto firmou parceria com a Câmara de Comércio Brasil-Canadá, para que os membros da associação possam acessar pesquisas e cursos da instituição.