Blockchain pode "colocar em risco a segurança" do mercado financeiro atual, diz executivo da DTCC

Acredita-se que a fintech seja um "risco sistêmico" para a economia em geral, de acordo com uma pesquisa conduzida pelo Depositary Trust and Clearing Corporation (DTCC) dos EUA, em 11 de dezembro.

20% dos entrevistados do chamado “Barômetro de Risco Sistêmico DTCC” colocaram a fintech entre os riscos do sistema para a economia global em 2019. Os resultados subiram em relação aos 15% da pesquisa do ano passado.

Stephen Scharf, diretor administrativo e chefe de segurança da DTCC, declarou que a crescente preocupação com a tecnologia financeira "demonstra uma crescente consciência do risco potencial e destaca a necessidade de avaliar os riscos e recompensas associados às iniciativas de tecnologia financeira".

“Como a indústria continua a adotar inovações de tecnologia financeira, como blockchain, IA e soluções em nuvem, devemos garantir que essas inovações não comprometam a segurança e proteção do atual mercado financeiro global.”

Os números das finanças tradicionais têm se mostrado cautelosos quanto à criptomoeda e à tecnologia por trás dele, a blockchain. Como a Cointelegraph informou na metade de novembro, um executivo do Banco Central Europeu (BCE) definiu o Bitcoin como o “monstro maligno da crise financeira [de 2008]”.

Neste mês, Andreas Utermann, CEO da Allianz, empresa de gestão de investimentos, declarou que os ativos de cripto deveriam ser "banidos" durante um painel em Londres. No mesmo painel, Andrew Bailey, chefe da Financial Conduct Authority (FCA) do Reino Unido, argumentou que os ativos cripto carecem de "valor intrínseco".