Blockchain está sendo usada para transformar lixo plástico dos oceanos em tecidos ecológicos

A empresa holandesa de tecidos ecológicos Waste2Wear está lançando a primeira coleção do mundo de tecidos feitos de resíduos plásticos retirados dos oceanos rastreáveis na blockchain nesta terça-feira.

Demanda por rastreamento de materiais reciclados

A exposição acontecerá de 17 a 19 de setembro em Paris, na feira internacional têxtil Première Vision, relata a publicação americana voltada para a moda FashionUnited.

Revelada pela primeira vez em 20 de agosto, a coleção foi desenvolvida especialmente pela Waste2Wear, em uma tentativa de acompanhar a demanda do cliente por rastreabilidade de materiais reciclados usados ​​em tecidos.

A empresa anunciou o lançamento de uma versão beta de seu sistema blockchain proprietário para sua nova coleção de tecidos de plástico oceânico em 22 de agosto.

3 toneladas de plásticos removidos do oceano a cada semana

Conforme observado pela empresa, os resíduos de plástico precisam seguir uma longa jornada desde o oceano para se tornar um produto têxtil acabado, o que requer vários registros de dados passo a passo.

Ao implementar a tecnologia blockchain, a empresa pretende tornar a cadeia de suprimentos de tecidos plásticos oceânicos totalmente rastreável, afirmou a companhia.

O plástico usado para a Waste2Wear Ocean Fabrics era proveniente da água e das áreas costeiras de uma pequena ilha perto de Xangai, China. Em cooperação com as autoridades locais, a Waste2Wear construiu um modelo de negócios que permite aos pescadores locais ganhar com a pesca de plásticos do oceano.

Segundo a Waste2Wear, os pescadores coletavam mais de três toneladas de lixo do oceano a cada semana.

Enquanto isso, a Waste2Wear não é a primeira entidade a aplicar a tecnologia blockchain para fins ecológicos. Em 4 de setembro, o Partido Democrata Livre da Alemanha expressou sua intenção de pagar criptomoeda a quem remover dióxido de carbono e outros gases de efeito estufa da atmosfera.