Bitmain apresenta projeto de pedido para ser listada na Bolsa de valores de Hong Kong

A gigante de mineração de cripto chinesa Bitmain apresentou um pedido preliminar para listar as ações da empresa na Bolsa de valores de Hong Kong (HKEX), de acordo com um documento de pedido oficial publicado quarta-feira, em 26 de setembro.

A Bitmain forneceu uma prova preliminar de requerimento que é exigida para listagem pública no HKEX, visando “exclusivamente” divulgar informações ao público em Hong Kong, e “não para quaisquer outros fins”. Ao fornecer uma visão detalhada do negócio, a Bitmain enfatizou que a prova de requerimento é representada em um formulário de rascunho, pois está sujeita a elaborações futuras devido ao seu status incompleto.

Na introdução do pedido, a Bitmain descreveu a empresa como "a segunda maior empresa da China e uma das dez maiores empresas de design de IC integrados sem fábrica do mundo em termos de receita em 2017", fornecendo uma breve descrição dos equipamentos fornecidos pela empresa. A empresa enfatizou que a Bitmain é “uma das poucas empresas” que oferecem ferramentas de mineração para várias criptomoedas, como o Bitcoin (BTC), o Litecoin (LTC), o Bitcoin Cash (BCH), o Ethereum (ETH), o Dash (DASH) e o Zcash (ZEC).

A Bitmain mencionou ainda mais especificidades do desenvolvimento de negócios da empresa, incluindo sua recente expansão com 11 novas fazendas de mineração na província de Sichuan, Xinjiang e Mongólia Interior, bem como a operação das maiores e segundas maiores pools de mineração de Bitcoin do mundo em termos de CPU — BTC.com e Antpool.

A empresa também destacou a dinâmica de seus negócios em termos de crescimento financeiro, citando um crescimento exponencial da receita de US $ 137,3 milhões em 2015 até de US $ 2,5 bilhões em 2017. A receita da empresa cresceu mais de 936%, de US $ 274,5 milhões nos primeiros seis meses de 2017 para cerca de US $ 2,8 bilhões nos primeiros seis meses deste ano até 30 de junho de 2018.

Fundada em 2013, a Bitmain, gigante da mineração de cripto, foi reportada de ter entre 70 e 80 por cento do mercado de mineradoras de Bitcoin e chips ASIC no final de fevereiro de 2018. A empresa iniciou suas operações no Canadá em 2016 e considerou expandir seus negócios para fora da China, após uma proibição nacional de casas de câmbio de criptomoedas e o crescente potencial de regulamentação de energia para mineração de cripto na China.

Os planos da Bitmain de realizar uma oferta privada inicial (IPO) foram revelados pela primeira vez em junho de 2018, com o CEO da Bitmain, Jihan Wu, afirmando que a empresa estava “aberta” ao lançamento de uma IPO com ações denominadas em dólar americano em uma jurisdição como Hong Kong. Após os relatórios, fontes anônimas próximas à Bitmain confirmaram, no final de julho, que foi esperado que a IPO seria apresentada “muito logo” em um mercado externo.

Em meados de agosto, a Cointelegraph relatou informações potencialmente enganosas sobre os investidores da IPO que alegadamente seria lançada pela Bitmain, com um algumas empresas negando investimentos em uma pré-IPO, enquanto supostamente eram listados como investidores.

Tanto o SoftBank quanto a DST Global, que foram relatados como apoiadores da IPO da Bitmain, negaram o envolvimento no acordo. E no início de setembro, a empresa de investimentos com sede em Cingapura, Temasek, também negou oficialmente o investimento na Bitmain, após relatos de ser um dos principais investidores na rodada de financiamento pré-IPO.