Visão geral semanal do Bitcoin

A China merece honestamente ser o principal participante de mercado do mercado neste ano.

Começou o ano com a proibição da retirada de ativos de plataformas de negociação e retorno de comissões para transações. Agora a China está proibindo ICOs dentro do país e está pensando sobre o encerramento de todas as plataformas de negociação.

Na segunda-feira de manhã, 11 de setembro, foi relatado que a China está proibindo as casas de câmbio de Bitcoin ao passo que permite o comércio OTC.

Enquanto este pedido em meio a repressão do risco financeiro, a China continua a ser o lar de cerca de um quarto dos negócios mundiais de Bitcoin hoje em dia.

Isso pode resultar em outra mudança geográfica na demanda na região asiática. Outro problema pode ser a onda de várias proibições e tentativas de resolver criptoatividades em diferentes países. E no futuro, afetará negativamente o preço de mercado do Bitcoin.

Na nota positiva, podemos ver uma preparação mais completa para ICOs e uma redução significativa de scams.

Analise fundamental

Às 3 da tarde UTC, o preço médio ponderado do Bitçoin era de US$ 4.149 e a capitalização de mercado caiu 15%, de US$ 163 bilhões para US$ 141 bilhões. Ainda assim, isso não é o mais profundo neste ano, mas definitivamente o mais acentuado.

Preço atual do BTC comparado commoedas fiduciárias (equivalente em dólares dos EUA)

USDJPYCNYKRWEURGBP
$4,256$4,231$3,944$4,213$4,292$4,554

Na segunda-feira de manhã, em 4 de setembro, o mercado acordou com uma notícia que sacudiu tudo, de que o Banco Popular da China emitiu uma ordem proibindo todas as ofertas iniciais de moedas no país. A proibição se estende não apenas a novas distribuições primárias de moedas. Organizações e indivíduos que já haviam realizado ICOs terão que devolver fundos aos investidores.

Em meados da semana, alguns projetos, como a Health Mutual Society, já começaram a devolver dinheiro aos seus investidores. E uma casa de câmbio tão grande quanto a Binance anunciou que começará a bloquear os endereços de IP chineses para evitar conflitos com o estado.

O declínio da segunda semana no preço dos ativos no mercado de criptomoedas também foi desencadeado por declarações ambíguas das autoridades chinesas para fechar o ecossistema de bolsas de valores no país.

De acordo com a Coinmarketcap, as maiores casas de câmbio de Bitcoin na China relatam a queda mais acentuada nos preços. O preço do BTC/CNY na OKCoin no momento era de US$ 3.650,71, enquanto a Huobi e a BTCC apresentavam preços de US$ 3.657,84 e US$ 3.656,57, respectivamente.

Durante a semana, outros três países estavam ativos contra a ICO. A atividade do governo do Canadá, Coreia do Sul e Israel em ICO e criptomoedas deve ser vigiada depois. Eles podem se tornar os próximos a impor algumas restrições sobre esse tipo de atividade de investimento.

No final de agosto, o Canadá emitiu o documento no qual afirma que cuida de seus investidores e empresas.

Análise de infraestrutura

No domingo à noite, a divergência de preços entre o mercado chinês (CNY) e outros mercados líquidos era de cerca de US$ 500.