Bitcoin não é moeda e nunca será: Expert Blog

Expert Blog é a nova série de artigos da Cointelegraph dos líderes da indústria cripto. Abrange tudo, desde a tecnologia Blockchain e criptomoedas até a regulamentação ICO e análise de investimentos. Se você quiser se tornar nosso autor convidado e ser publicado na Cointelegraph, envie-nos um e-mail para mike@cointelegraph.com.

 

Parece que 2017 poderia ser mesmo chamado de Ano do Bitcoin. A mais popular e, portanto, valiosa criptomoeda vem derrubando recorde após recorde neste ano. Em 8 de novembro, 1 BTC era negociado em torno de US $ 7.700; No início do ano, valia cerca de US $ 960. Loucura.

No entanto, devido ao fork que não aocnteceu (e a comunidade Bitcoin estava ansiosa por isso, já que o desenvolvimento pretendido deveria ter aumentado a velocidade das transações), o mercado reagiu com dureza. O Bitcoin rapidamente perdeu um pedaço de seu valor. Em um ponto no tempo, estava tão baixo quanto US $ 5.600, mas no momento deste artigo já havia se recuperado para US $ 7.200. Portanto, está crescendo. Novamente.

Apesar de ver tudo isso, ainda estou bastante surpreso que muitas pessoas tendam a pensar que o Bitcoin é uma moeda, embora neste momento não seja uma ameaça para nossas moedas fiduciárias normais. Por outro lado, várias pessoas parecem perceber que os tempos de transação, as ineficiências de energia na mineração Bitcoin e similares são alguns dos principais desafios que impedem o Bitcoin de se tornar uma verdadeira alternativa ao USD, GBP ou EUR.

Não importa qual posição você tenha, eu devo decepcioná-lo (mas fique comigo apesar disso!) - o Bitcoin não é mais uma moeda. E nunca será. Aqui está o porquê.

Compreendendo moedas

O dinheiro, ou essencialmente qualquer moeda fiduciária (como USD, GBP ou EUR) deve satisfazer três critérios principais:

  • Deve funcionar como meio de troca,

  • Deve ser uma unidade de conta, e

  • Uma reserva de valor.

Embora o Bitcoin tenha alguns dos atributos listados acima, ele definitivamente não consegue atender a todos. Vamos examiná-los um a um.

Meio de troca

Nós provavelmente teremos que concordar com este já que mais e mais comerciantes estão começando a aceitar o Bitcoin como uma opção de pagamento (o Google lançou sua API de pagamentos com o Bitcoin, houve rumores que a Amazon começará a aceitar pagamentos em Bitcoin etc.). Além disso, a rede de caixas eletrônicos Bitcoin e o número de cartões de pagamento Bitcoin está crescendo constantemente, o que torna essa criptomoeda semelhante ao nosso amado fiduciário.

No entanto, este é apenas um lado da moeda. Na verdade, a criptomoeda mais popular tem desempenho bastante pobre como um meio de troca. Isto é fundamentalmente devido à alta volatilidade, o que torna inconveniente e impraticável se precificar bens ou serviços em Bitcoin. Por exemplo, no início do dia você pode precificar seu MacBook em 1 BTC, mas devido às flutuações diárias (que podem variar até 30 a 40 por cento), no final do dia pode custar 1,5 BTC. Para colocar isso em perspectiva, a taxa de câmbio diária entre USD e EUR é, em média, de 1 a 3%.

Unidade de conta

Em economia, uma unidade de conta denota uma unidade de medida monetária nominal ou moeda usada para representar o valor real de qualquer item econômico, como bens, serviços, ativos ou passivos, receitas, despesas. Novamente, referindo-se apenas à volatilidade, podemos entender que o Bitcoin não satisfaz este critério.

Outro ponto importante a considerar é que nenhum credor usa Bitcoins como unidade de conta para coisas como crédito ao consumidor, empréstimos ou hipotecas, nem cartões de crédito ou débito denominados em Bitcoin, por si mismos (você pode gastar seu Bitcoin, mas as transações reais acontecem em fiduciário uma vez que a moeda digital é vendida no back-end).

Reserva de valor

O último traço que deve ser encontrado em qualquer moeda é provavelmente o único que se adapta melhor ao Bitcoin.

É bastante claro, e tenho argumentado isso várias vezes, que o Bitcoin emergiu como um dinheiro digital peer-to-peer, e, portanto, está desafiando os atuais sistemas monetários. No entanto, ao longo dos anos superou o seu objetivo inicial, e agora é mais semelhante a uma reserva de valor, ou um investimento alternativo.

Os dois últimos são essencialmente impulsionados por especulações e hype em torno do espaço de criptomoeda em geral, e o Bitcoin em particular. Podemos ir não tão longe e procurar nas tendências de pesquisa do Google para Bitcoin e compará-las com o preço do BTC. Coloque-os juntos, e você verá uma correlação de quase 1 para 1.

Além disso, muitas pessoas estão comprando (ou armazenando suas riquezas em) Bitcoins simplesmente porque esperam que o preço suba, pelo menos por um tempo. Isso é uma reminiscência da Teoria do Mais Tolo, que afirma que as pessoas compram algo simplesmente porque esperam que haja um mais tolo que comprará seu ativo mais tarde a um preço maior.

Mas há outros que estão armazenando sua riqueza em Bitcoins simplesmente porque a alternativa (fiduciária) não é funcional. Nem precisa procurar além de Zimbábue ou Venezuela. No primeiro, o BTC tem preços em algum lugar em torno de US $ 13.000! Devido à alta inflação, a demanda por Bitcoin disparou ultimamente neste país da África Austral, pois não só as pessoas, mas também as empresas exigem Bitcoin para compras diárias.

No entanto, embora a reserva de valor se assemelhe bastante ao Bitcoin, ainda é bastante diferente do que o dinheiro convencional deveria ter. Provavelmente, uma das principais características da moeda como uma reserva de valor é que ela deve ser estável. E isso é especialmente importante para os países que estão se esforçando para atrair investimentos. Simplificando, aqueles que investem esperam algum fluxo de ganhos futuros e uma moeda instável compromete a habilidade dos investidores de prever com precisão os lucros futuros, o que torna os investimentos menos valiosos e, portanto, menos atrativos.

Amarrando tudo

Depois de dar uma olhada nos principais atributos de uma moeda, podemos ver facilmente que o Bitcoin não é uma. Tendo em conta as transações lentas, os custos relativamente elevados e as ineficiências de energia para a execução da rede, bem como alguns desentendimentos fundamentais (em termos de desenvolvimentos futuros) na comunidade de Bitcoin, é mais do que óbvio que esta criptomoeda nunca desafiará seriamente USD, GBP ou EUR.

No entanto, isso não significa que o Bitcoin não tenha futuro. Muito pelo contrário. Posso imaginar que seja uma classe (alternativa) de ativos bastante popular e forte. Com a ajuda de efeitos de rede, o crescente interesse de investidores institucionais, bem como um quadro regulatório mais criptoamigável, o Bitcoin pode realmente dar em algo.

Aviso legal: as visões e interpretações contidas neste artigo são as do autor e não representam necessariamente as visões da Cointelegraph.

Bio: Linas Beliunas é desenvolvedor de negócios, profissional de vendas, estrategista FinTech, bem como entusiasta de criptomoedas e blockchain. Ele é altamente apaixonado por Tecnologia Financeira e Inovação Digital e acredita firmemente que elas mudarão o mundo para melhor. Além de seu trabalho diário em um dos principais fornecedores de serviços bancários alternativos no EEA, Linas também aconselha um par de startups blockchain fazendo ICO.


Siga-nos no Facebook