Bitcoin está de volta: China aprova operação da Huobi em Shenzhen mesma cidade onde país testará CBCD

O Bitcoin oficialmente de volta na China já que a Huobi, uma das maiores exchanges de Bitcoin e criptomoedas do mundo, ganhou aprovação oficial do governo Chinês para iniciar a instalação de um parque tecnológico em Shenzhen, a região ‘tecnológica’ da China, segundo anúncio da exchange em 18 de novembro.

Embora a criptomoeda nunca tenha sido 100% proibida no país desde 2017 há uma proibição de seu comércio o que levou as exchanges a deixarem a nação. Além disso, a proibição do comércio de BTC na China sempre alimentou rumores relacionados ao banimento da criptomoeda no país, junto com a suposta perseguição a mineradores.

A aprovação das operações de um parque tecnológico da Huobi no país não significa uma liberação total das exchanges, contudo é mais um dos sinais da mudança de orientação do governo chinês com relação as criptomoedas demonstrado que a atividade pode ser liberada no país em breve.

Shenzhen é a região mais tecnológica da China e vem se tornando uma das principais cidades do país. É justamente na região que a China, segundo a Bloomberg, pretende iniciar os primeiros testes de sua Moeda Digital do Banco Central (CBDC na siglas em ingês). Também é em Shenzhen que inumeras aplicações em blockchain já são realidade na China, inclusive uma que envolve a compra de bilhetes de metrô em parceria com a Huawei.

De acordo com o fundador da Huobi, Leon Li, a empresa escolheu Shenzhen justamente por ser um grande polo de tecnologia no qual todos podem se conectar. Li, não detalhou todos os planos da Huobi com o novo parque, contudo a aprovação marca uma importante mudança de visão na China.

“Escolhemos Shenzhen por sua posição dentro da vanguarda tecnológica e para que possamos fazer pleno uso de suas vantagens competitivas nos serviços da indústria de blockchain, criando raízes em Shenzhen para prestar serviços a todo o país e ao mundo, criando assim um ambiente global fornecedor de serviços técnicos abrangente e líder”, disse Li

Embora o governo da China ainda não tenha emitido uma regulamentação oficial para bitcoin e exchanges no país, especialista apontam que há um novo ‘clima’ no ‘ar’

“O acordo de Huobi agora está mostrando que a China está realmente trabalhando em direção ao seu objetivo de adoção generalizada de blockchain em um ritmo acelerado, e que o país está se preparando para grandes mudanças nos próximos anos após o pedido de adoção do presidente Xi Jinping”, declarou Vicente He, fundador do 8BTC.

O parque tecnológico da Huobi faz parte dos planos de expansão da empresa que inaugurou uma filial na Argentina e pretende expandir para outras nações.

Como noticiou o Cointelegraph, a filial da Huobi no Japão, arrecadou 5 milhões de ienes (US$ 4,6 milhões) do Financial Products Group (FPG), um operador de negócios de instrumentos financeiros.

Confira mais notícias