Bitcoin criticado de novo, desta vez pelo titã dos fundos de cobertura

Como fundador e chefe da Bridgewater, o maior fundo de cobertura do mundo com 350 clientes institucionais, Ray Dalio sabe uma coisa ou duas sobre o negócio de investimento tradicional.

MarketWatch

Os 10 maiores gerenciadores de fundos de cobertura do mundo. Ganhos líquidos sem impostos até 31/12/16, em bilhões. Imagem: MarketWatch

Ele certamente detectou e conduziu sua empresa em torno de bolhas de ativos tradicionais no passado. Mas ele sabe como detectar bolhas de ativos de criptomoedas? Isso ainda não foi visto.

Recentemente, Dalio se juntou a seu amigo e colega bilionário, o magnata das finanças Jamie Dimon, ao chamar o Bitcoin de uma bolha. Ele afirma que a Bitcoin não é "um patrimônio efetivo de riqueza porque tem volatilidade, ao contrário do ouro".

"O Bitcoin é um mercado altamente especulativo. O Bitcoin é uma bolha ".

Há várias razões pelas quais o Sr. Dalio não acredita no potencial do Bitcoin e outras criptos em geral. De acordo com os critérios da Bridgewater, existem duas facetas importantes para serem consideradas como uma moeda válida. A primeira é que ela deve servir como um meio de troca e o segundo é que deve ser uma reserva de riqueza.

Dalio continua dizendo:

"É uma pena, poderia ser uma moeda. Poderia funcionar conceitualmente, mas a quantidade de especulação que está acontecendo e a falta de transações [o machuca] ".

Segundo ele, a ação e a exuberância resultante da criptomoeda têm sido "muito" conduzidas por pessoas que simplesmente pensam que elas podem vendê-la a um preço mais alto, sem qualquer compreensão dos fundamentos, "então é uma bolha".

Dalio não é o único CEO de finanças de grande porte com uma posição negativa sobre o Bitcoin e criptomoedas. Na semana passada, o CEO do JP Morgan, Jamie Dimon, deu um direto no Bitcoin, dizendo que ele "é uma fraude".

Só o tempo dirá se os dois financiadores estão certos em suas previsões sobre criptomoedas em geral e o Bitcoin em particular. Os comentários de Dalio parecem não ter assustado os mercados tanto quanto os de Dimon. O mercado caiu rapidamente na semana passada na sequência de notícias negativas da China e do comentário de Dimon.