Bitcoin está no maior nível de sobrecompra desde o recorde de 2017, afirma analista da Bloomberg

O Bitcoin (BTC) está no nível de maior sobrecompra desde o seu recorde em dezembro de 2017, segundo publicação do analista da Bloomberg Intelligence, Mike McGlone, da última sexta-feira, 5 de abril.

De acordo com a reportagem, o indicador de força global GTI do Bitcoin mostra que a moeda não chega a estes níveis de sobrecompra desde que o seu preço atingiu o recorde de US$ 20 mil. A Bloomberg também afirma que padrões semelhantes no passado anunciaram uma recessão de várias semanas.

Bitcoin’s GTI Global Strength Indicator

Bitcoin GTI - Indicador Global de Força. Fonte: Bloomberg

De acordo com McGlone, o recente crescimento ocorreu por causa da longa compressão dos preços e da baixa volatilidade, o que fez com que agora as cotações fossem “liberadas da gaiola”. McGlone afirmou que espera um período similar de retração na sequência do crescimento recente:

"Agora é uma questão de duração e eu suspeito que quando você tem uma bolha tão grande, sempre terá um excesso de pessoas que precisam vender."

O artigo também cita David Tawil, presidente do fundo de hedge de criptomoedas ProChain Capital, que espera que o mercado continue sua tendência de queda. Enquanto admite que "é bom ver um movimento positivo em oposição a um movimento negativo", ele observa que não vê a mudança com conforto:

“Certamente, um investidor iria preferir ver um aumento gradual e constante sendo estabelecido, ao contrário de um aumento muito, muito rápido, que pode facilmente se tornar em um vem fácil, vai fácil."

A análise de McGlone e Tawil parece contrastar com a do cofundador da Fundstrat Global Advisors, Thomas Lee. Como informado neste sábado (06/4) pelo Cointelegraph, para Lee o Bitcoin está de volta a uma tendência de alta. Lee apontou que o BTC já ultrapassou sua média móvel de 200 dias

Além disso, o trader e autor Peter Brandt também discorda de McGlone. Em 5 de abril, no Twitter, ele afirmou que não ficaria surpreso se o Bitcoin entrasse em outra fase parabólica.

No início desta semana, o principal mercado de derivativos dos Estados Unidos, o CME Group, destacou que os futuros do Bitcoin registraram um volume recorde de negociações em 4 de abril.