Bitcoin avança no ranking e se torna a nona maior moeda do mundo

Depois de romper novamente a marca de US$ 9 mil recentemente, o Bitcoin registrou outro marco depois que se tornou a nona maior moeda do mundo, superando a moeda nacional da Rússia.

Uma das grandes comparações feitas por analistas do mercado de criptomoedas é a relação do tamanho do mercado do Bitcoin em relação às moedas fiduciárias de países. O recente aumento de preço no ativo digital levou o Bitcoin a ocupar um dos primeiros lugares no ranking de moedas nacionais.

O Bitcoin chegou a ultrapassar a base monetária da Rússia ainda no primeiro trimestre de 2019. Com os touros levando o mercado de criptomoedas para uma tendência de alta, o valor do BTC chegou a quase US$ 9.400. O ativo digital possui hoje uma capitalização de mercado de aproximadamente US$ 166 bilhões.

Uma das principais razões para o BTC superar grandes economias é seu valor de base monetária. A revelação foi feita pelo usuário do Twitter @crypto_voices, que publicou:

“Global Base Money ATUALIZAÇÃO: @ $ 8.940, #Bitcoin é maior que a base monetária da Coreia do Sul [2019 Q1 ganhou valor]. Isso significa que o sistema monetário do Bitcoin é agora a * 9ª * maior moeda do mundo, # 11 se você contar ouro e prata. A atualização completa seguirá na atualização do CV 2019 Q2. ”

O gráfico compartilhado pelo Crypto Voices mostra uma comparação entre os valores da base monetária do ouro e das principais economias. O ouro manteve sua posição como principal base monetária, com o valor de aproximadamente US$ 8 trilhões. 

O Bitcoin tinha uma base monetária no valor de US$ 0,2 trilhão, um valor que já superava várias economias importantes. Como o gráfico sugere, a base monetária do Bitcoin é maior que a da Coréia do Sul, Austrália e Cingapura, entre outras nações. O ativo digital está quase nivelado com o valor da base monetária da Rússia.

Uma base monetária pode ser definida como o volume total de uma moeda que está em circulação geral, nas mãos do público ou nos depósitos bancários comerciais mantidos nas reservas do banco central.

O @crypto_voices então esclareceu:

"Não conheço as metodologias deles, mas a Arábia Saudita e a Dinamarca, por exemplo, são moedas atreladas, então o dinheiro base é o Dólar e o Euro, respectivamente, e não devem ser contados. A comparação econômica correta é o valor da base monetária do banco central de cada moeda. ”

A chegada do Bitcoin ao nono lugar entre as moedas do mundo acontece no mesmo momento em que alguns especialistas falam da possibilidade de bancos centrais acrescentarem o ativo digital à suas reservas. Conforme reportado pelo Cointelegraph, o analista senior de mercado da empresa eToro, Mati Greenspan, disse que em dois anos a Rússia vai possuir Bitcoins em suas reservas.