Maior banco tailandês se une ao Pacto de financiamento do comércio do Consórcio R3 Marco Polo

O maior banco da Tailândia juntou-se a um programa financeiro comercial que utiliza a tecnologia de livros-razão distribuídos Corda (DLT) do R3, informaram fontes em 24 de maio.

O R3, um consórcio de mais de 200 empresas sediado em Nova York, usa a tecnologia baseada no blockchain para permitir que as empresas desenvolvam aplicativos em adição a sua plataforma Corda.

O Bangkok Bank, que juntou-se ao Consórcio R3 em agosto de 2016, está agora a bordo para testar melhorias na área de financiamento comercial através Marco Polo, a iniciativa conjunta do R3 com a plataforma TIX da TradeIX.

Lançado pela primeira vez em 2017, Marco Polo se concentra na remoção de estruturas de intermediários de vários aspectos do financiamento comercial, incluindo mitigação de risco.

"Estamos muito satisfeitos em trabalhar com o R3, a TradeIX e vários bancos líderes no projeto Marco Polo, no qual aplicamos as tecnologias de livro-razão distribuído para lidar com as complexidades e ineficiências de financiamento comercial", disse um dos vice-presidentes executivos do banco, Ian Guy Gillard em um comunicado de imprensa.

A medida é uma das várias tentativas em andamento para reforçar o financiamento do comércio usando soluções derivadas da tecnologia blockchain.

Na semana passada, a Cointelegraph informou sobre um esquema parecido envolvendo atualmente sete dos maiores bancos da Índia, junto com a gigante de TI InfoSys.

Ao mesmo tempo, o HSBC completou o primeiro acordo de financiamento comercial blockchain do mundo.

O Bangkok Bank, no entanto, vê uma boa perspectiva na oferta do R3, o vice-presidente executivo Panit Dunnvatanachit descreveu-o como uma maneira “inovadora” de responder às demandas dos clientes.

Ele acrescentou:

"Através do uso efetivo da tecnologia, podemos simplificar processos complexos e suportar transações mais rápidas e mais seguras, o que, por sua vez, ajudará a incentivar o uso de canais digitais".