Banco encontra o Blockchain

Muitos especialistas concordam sobre o enorme impacto que a tecnologia Blockchain terá na fintech nos próximos anos. No entanto, as questões técnicas e regulatórias impediram o crescimento do Blockchain e das criptomoedas após a fase de adoção precoce e atingir o grande público.

A Monaize, uma plataforma de banco eletrônico para freelancers e pequenas empresas e a Komodo, um dos 30 principais projetos de criptomoedas se encontraram no Money 20/20 em junho de 2017 e forjaram uma parceria. A visão conjunta deles é de fazer uma ponte para o Blockchain bancário e ajudar as criptomeodas a obter a adoção do grande público.

A primeira oferta de moedas iniciais descentralizadas do mundo (dICO)

A primeira inovação a sair da parceria Monaize-Komodo será uma oferta inicial de moedas descentralizada (dICO) através de swap atômico de moeda em cadeia cruzada alavancando a tecnologia Jumblr e BarterDEX da Komodo Platform. É possível emitir e distribuir criptomoedas nativas sem terceiros confiáveis. A dICO da Monaize também está configurada para levar a comunidade Blockchain para uma era em que as ICOs não precisam mais depender de plataformas como Ethereum ou Waves, reduzindo problemas como Blockchain inchado e minimizando o dano que seria sofrido por centenas de projetos de ICO se uma dessas grandes cadeias-mãe fosse comprometida.

A cadeia de ativos Monaize foi criada no final de setembro com tokens ostentando o símbolo "MNZ". Na sexta-feira, 10 de novembro ao meio dia (GMT), os participantes da venda de tokens começarão a trocar Bitcoin ou Komodo Coin por Monaize Tokens. Essas trocas de moedas ocorrerão através do Blockchains através de swaps atômicos com correspondência automática de pedidos, usando uma carteira especial dICO desenvolvida pela Komodo Platform. A Monaize lançará informações adicionais e um tutorial sobre o processo da dICO nos próximos dias.

Banco eletrônico como uma porta de entrada para o Blockchain

Muitas vezes comparada a atores similares no espaço fintech como N26 e Revolut, a Monaize é o primeiro "banco desafiante" de seu tipo a possuir o seu próprio Blockchain. A cadeia de ativos da Monaize herda todas as características da Komodo, incluindo o anonimato através de provas de conhecimento zero, bem como a segurança do nível Bitcoin, graças a um novo protocolo de prova de trabalhado atrasado (dPOW) no qual todas as transações são notarizadas no Bitcoin Blockchain.

Conforme explicado no Livro Branco da Monaize, as aplicações que permitem que a Monaize aproveite essa cadeia de ativos e outras através da interoperabilidade Blockchain, de forma inovadora, incluirão pagamentos globais, integração com criptomoeda fixa fiduciária e armazenamento de KV em cadeia. A Monaize também planeja integrar uma carteira de criptomoeda em sua aplicação bancária no segundo trimestre de 2018, encorajando ainda mais a adoção de criptomoeda pela comunidade empresarial.

Plataforma de banco eletrônico da Monaize para freelancers e pequenas empresas

A Monaize já desenvolveu um produto de trabalho e planeja lançar nos mercados francês e britânico no quarto trimestre de 2017. Os relatórios sugerem que 162 milhões de pessoas na Europa e nos EUA fazem parte da economia freelance. O trabalho independente está evoluindo rapidamente graças a plataformas digitais em grande escala como Uber e Deliveroo, que fornecem conexões eficientes entre clientes e provedores de serviços. No entanto, os bancos tradicionais atrasaram a adaptação de seus serviços para freelancers e pequenas empresas, devido às suas diversas e complexas necessidades.

O que diferencia a Monaize é a sua abordagem centrada na tecnologia, personalizada e agnóstica, que permite uma rápida expansão e crescimento internacional, permitindo que diferentes parceiros de serviços bancários e financeiros se conectem na plataforma. Para os novos usuários da Monaize, um processo revolucionário de KYB (Know Your Business - Conheça Seu Negócio) que verifica documentos fotografados em tempo real significa que os clientes podem abrir uma conta em vários minutos a partir do conforto de sua casa ou escritório usando um smartphone. O acesso à conta é concedido imediatamente com um IBAN local e um Monaize Business Mastercard é despachado em menos de cinco dias. Serviços personalizados de terceiros também estarão disponíveis, incluindo seguro de responsabilidade profissional, soluções de pagamento e finanças.

O que há para os participantes da venda do token MNZ?

Aqueles que participam da venda de tokens da Monaize beneficiarão de recompensas estruturadas sobre o crescimento do usuário. A cada mês, conta-se o número de novas criações da conta comercial na Monaize e uma equação é utilizada para calcular a recompensa total em KMD aos detentores de tokens MNZ. As recompensas são distribuídas através de uma API automática que rastreia o Monaize Blockchain e distribui automaticamente KMD para os detentores de tokens MNZ, proporcionalmente à quantidade de tokens mantidos.

Os titulares de tokens MNZ participarão de uma revolução bancária em que serviços inovadores colaborativos e éticos são finalmente fornecidos a um segmento de mercado não atendido. Percebendo o seu potencial para se tornar uma plataforma internacional líder de banco eletrônico para freelancers e pequenas empresas, a estratégia de expansão internacional da Monaize começa com a Europa antes de se dirigir para os EUA, Ásia e África nos próximos anos.

Um grande acompanhamento dos apoiantes da Monaize já foi desenvolvido no SlackTelegram e por assinatura de e-mail, os interessados em participar são encorajados pela Monaize a se envolver na conversa.

 

Aviso Legal: a Cointelegraph não endossa nenhum conteúdo ou produto nesta página. Embora tenhamos o objetivo de fornecer todas as informações importantes que possamos obter, os leitores devem fazer suas próprias pesquisas antes de tomar quaisquer ações relacionadas à empresa e assumir a total responsabilidade por suas decisões, nem este artigo pode ser considerado como um conselho de investimento.


Siga-nos no Facebook