Banco da Inglaterra vai reconstruir sistema de liquidação para interagir com plataformas Blockchain

O Banco da Inglaterra está planejando reconstruir seu sistema de Liquidação Bruta em Tempo Real (RTGS) para poder interagir com empresas e plataformas privadas usando tecnologia de livro-razão distribuído (DLT), anunciou o presidente do banco, Mark Carney, em um discurso em 21 de junho.

Falando na Mansion House em Londres, Carney disse que o banco vai conduzir uma “reconstrução ambiciosa” do seu sistema RTGS, que é, segundo ele, a espinha dorsal de todos os pagamentos no Reino Unido. O RTGS é um sistema geralmente usado para transferir grandes volumes de fundos entre bancos.

O banco está tentando reorganizar o RTGS existente para que as plataformas de pagamento privadas possam se conectar diretamente ao sistema do banco. "Nossa nova infraestrutura dura terá um pé no futuro para sua imaginação, abrindo uma gama de inovações em potencial nos mercados atacadistas e serviços corporativos de banco e varejo", disse Carney.

O governador também mencionou que o banco começou a trabalhar em conjunto com o Banco do Canadá, a Autoridade Monetária de Cingapura e algumas organizações do setor privado para melhorar os pagamentos transfronteiriços entre bancos, incluindo iniciativas baseadas em DLT. Ele disse:

“Os retornos potenciais são grandes. Actualmente, os pagamentos transfronteiriços podem custar dez vezes mais do que os nacionais. Estimamos que apenas no Reino Unido há margem para poupanças anuais de mais de 600 milhões de libras. Mais fundamentalmente, quanto mais contínuos forem os pagamentos globais e domésticos, mais os lares e empresas do Reino Unido se beneficiarão da nova economia global”.

Carney afirmou que o novo sistema ajudará a combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo, bem como o acesso antecipado aos sistemas financeiros domésticos e internacionais.

A Prova de Conceito (PoC) de renovação do RTGS foi proposta inicialmente em maio de 2017. O banco concluiu que a DLT “ainda não estava suficientemente madura para fornecer o núcleo para a próxima geração de RTGS”, no entanto, atribuiu alta prioridade à garantia de que a melhoria da funcionalidade da RTGS é capaz de interagir com a DLT.

Em abril, o Banco da Inglaterra divulgou um documento de PoC que examina como configurar um sistema de livro-razão distribuído que manteria a privacidade entre os participantes, manteria os dados compartilhados na rede e também permitiria que um órgão regulador supervisionasse todas as transações. A autoridade central teria o poder de emitir e retirar novas unidades de ativos e conceder permissões de acesso a todos os participantes. Nenhuma outra parte além do regulador seria capaz de inferir detalhes sobre transações das quais não fazem parte.