Proibição completa: China bloqueia casas de câmbio digital no exterior para combater "riscos financeiros"

A China irá adicionar casas de câmbio digital offshore e sites de ICOs em sua grande barreira de segurança (Great Firewall), informou o South China Morning Post nesta segunda-feira, 5 de Fevereiro, citando uma publicação em conjunto com o People's Bank of China (PBoC).

Os reguladores da China alegaram insatisfação com as medidas atuais que restringem a negociação em sites de câmbio doméstico , chegando a uma decisão de bloquear sites estrangeiros também para contrariar "riscos financeiros".

Em janeiro, uma nova repressão de Pequim viu as plataformas de negociação emergentes, como a P2P e os recursos de balcão banidos , somando um embargo geral sobre operações de criptomoedas e ICOs , em vigor desde Setembro de 2017.

Ao mesmo tempo, sinais mistos foram dados sobre o status da mineração de criptomoedas, enquanto o bloqueio desta segunda-fera ocorre depois que a Cointelegraph relatou que os anúncios relacionados à moedas digitais quase desapareceram de sites domésticos na China.

Agora, os legisladores dizem que desejam contrariar os movimentos de contingência de comerciantes que procuraram contornar a proibição das casas de câmbio digitais usando plataformas estrangeiras.

"Para evitar riscos financeiros, a China intensificará as medidas para remover quaisquer plataformas onshore ou offshore relacionadas à negociação virtual de moeda ou ICOs", afirma o South China Morning Post, citando a publicação relacionada ao PBoC. A citação continua:

"A ICO e o comércio de moeda virtual não se retiraram completamente da China após a proibição oficial ... As transações no exterior e a evasão regulatória foram retomadas ... (R)iscos ainda existem, alimentados por emissões ilegais e até mesmo vendas fraudulentas de esquema pirâmide".