Ministério de Impostos do Azerbaijão diz que receita de cripto está sujeita a tributação

As receitas de transações de cripto para fiduciário estarão sujeitas à tributação no Azerbaijão, informou o site de notícias Trend no sábado, 5 de maio. Nijat Imanov, do Ministério de Impostos do país, delineou as novas medidas durante o segundo Fórum de Finanças e Investimentos (FIF 2018) em Baku mo sábado.

Durante o Fórum, Imanov afirmou:

“Isso é formalizado como uma taxa de lucro para pessoas jurídicas e imposto de renda para pessoas físicas. Se alguém comprou uma criptomoeda e a vendeu depois que seu preço aumentou, esse valor é registrado como receita e, portanto, deve ser atraído pela tributação”.

O Trend relata ainda que o mercado de criptomoedas do Azerbaijão tem tido um crescimento significativo entre maio e dezembro de 2017, com o comércio de cripto se tornando um meio de renda cada vez mais popular.

Negociações de cripto-para-cripto e de cripto-para-fiduciário, bem como a mineração, são reconhecidos como eventos tributáveis ​​na maioria dos países, caindo sob a tributação ou lucro (conhecido como ganhos de capital) pelas leis de tributação. A França, por exemplo, trouxe recentemente a maioria dos casos de mineração de cripto - excluindo mineração e comércio em nível  “industrial” - sob as leis de ganhos de capital, tributados a uma taxa fixa de 19%, ao contrário das avaliações de imposto de renda que chegam a 45%.

A autoridade fiscal americana, o IRS - que trata a criptomoeda como propriedade e a compra, venda, comércio e mineração de cripto como eventos tributáveis ​​- recentemente exigiu que a principal casa de câmbio norte-americana, a Coinbase, fornecesse dados de clientes, após preocupações de que muitos comerciantes não estavam conseguindo declarar retornos de seus ganhos em impostos.