Teste de blockchain australiano na Amazon Cloud atinge 30.000 transações por segundo

Um sistema blockchain desenvolvido pela agência nacional de ciência da Austrália (CSIRO) e pela Universidade de Sydney afirma ter estabelecido a marca de 30.000 transações por segundo durante um teste no Amazon Cloud, de acordo com o comunicado de imprensa da CSIRO.

O braço tecnológico da CSIRO, a Data61, e o Grupo de Pesquisa de Sistemas Concorrentes da Universidade de Sydney criaram a Red Belly Blockchain como uma “graduação” do programa de pré-aceleração do CSIRO ON prime.

O CSIRO e o Concurrent Systems Research Group anunciaram o primeiro resultado de seu experimento realizado na infraestrutura de nuvem da Amazon Web Services (AWS). A Red Belly Blockchain foi testada em 1.000 máquinas em 18 regiões, incluindo as Américas do Norte e do Sul, Austrália e Europa.

De acordo com o relatório do CSIRO, a Red Belly Blockchain teria sido capaz de operar 30.000 transações por segundo de diferentes locais, mostrando um atraso médio de transação de três segundos.

A infraestrutura do Bitcoin (BTC) normalmente escala até oito transações por segundo, de acordo com as estatísticas de Blockchain para setembro. A capacidade blockchain do Ethereum (ETH) é de até 15 transações por segundo; no entanto, seu criador Vitalik Buterin planeja escalá-lo para até 500 usando o ZK-SNARK para validar as transações em massa.

De acordo com um relatório divulgado pela CSIRO em julho, o Red Belly Blockchain usa um consenso bizantino — um algoritmo que completa transações sem prova de trabalho (PoW) e, portanto, sem um aumento no consumo de energia.

O Dr Vincent Gramoli, pesquisador sênior do CSIRO e chefe do grupo de pesquisa da Universidade de Sydney, observou que os problemas atuais com “aplicações reais de blockchain” incluem “problemas com o consumo de energia e complexidades induzidas pela prova de trabalho”.

De acordo com o lançamento do CSIRO, esta não é a primeira vez que a Red Belly Blockchain foi testado no Amazon Cloud. Durante os experimentos entre julho de 2017 e maio de 2018, um teste mostrou 660.000 transações por segundo em 300 máquinas. No entanto, todos eles estavam em uma única zona de disponibilidade.

A bolsa de valores da Austrália, que vem trabalhando para implementar o blockchain a partir de dezembro de 2017 para substituir seu atual sistema de processamento de transações de patrimônio, disse em setembro que adiaria a transição por seis meses.

Mais recentemente, a empresa imobiliária australiana Vicinity anunciou nesta semana planos para testar uma solução blockchain para sua rede de energia em parceria com a empresa de tecnologia de energia Power Ledger.