Empresa de consultoria australiana vai lançar oferta de títulos digitais de US$250 milhões para o setor de mineração

Uma das principais empresa de consultoria de capital australiana PCF Capital Group escolheu o ecossistema blockchain permissionado KoreConX para uma oferta de títulos digitais de US$ 250 milhões. A notícia foi revelada em comunicado enviado ao Cointelegraph em 14 de maio.

A PCF Capital presta consultoria com foco em clientes nos setores de mineração e recursos, e executou 120 desinvestimentos em minas e mandatos de financiamento de projetos para mais de US$ 2 bilhões, de acordo com o comunicado de imprensa.

A KoreConX é um ecossistema blockchain permissionado para conformidade de títulos digitais. É composto por uma rede de corretores, plataformas de mercados secundários e vários advogados de valores mobiliários, além de oferecer aos investidores relacionamento, marketing e serviços de mídia.

A parceria entre as duas empresas vai permitir oferta de US$ 250 milhões  — no que traria um levantamento de capital sem precedentes usando títulos digitais para o setor de mineração global — para serem comercializados em várias jurisdições com conformidade regulatória total.

A plataforma integrada KoreConX permitiria à PCF Capital desenvolver e pilotar seus títulos digitais, gerenciar novos acionistas com recursos de relações com investidores e se valer de uma ferramenta integrada de gerenciamento de portfólio.

De acordo com o comunicado, a oferta será aberta a investidores credenciados, investidores institucionais e escritórios de família nos Estados Unidos, Ilhas Cayman, Austrália, Canadá, Reino Unido, Emirados Árabes, Singapura e Hong Kong.

Como noticiado ontem, a plataforma de security token Polymath revelou que vai construir uma blockchain separada — chamada Polymesh — para tokens com compliance regulatório com o cofundador da Ethereum (ETH) Charles Hoskinson.

Neste mês, o Cointelegraph publicou uma análise do potencial de títulos tokenizados para mitigar as fraquezas que levaram à crise financeira de 2008, ao ajudar o mercado abordar questões como a transparência e a liquidez.